“Queremos rutura com austeridade, mas dentro do Tratado Orçamental”

(DR)
(DR)
(DR)

Mário Centeno, deputado do PS eleito a 4 de outubro e economista, esteve esta quarta-feira em entrevista na RTP3.

“O conceito de austeridade é um conceito que se aplica às vezes até erradamente”, começou por dizer Mário Centeno, em entrevista à RTP3, esta quarta-feira.

“O que nós apresentamos na campanha eleitoral e que propomos fazer é um conjunto vasto de medidas que de facto vira a página da austeridade” mas de forma “controlada e financeiramente responsável”, sustentou o economista que liderou o grupo que elaborou o programa eleitoral socialista na área da economia.

Mário Centeno admite que “é difícil dizer sim ou não” quando se pergunta se a chegada do Governo socialista significa o fim da austeridade porque o que o programa do PS propõe é “o desfazer dessas medidas de austeridade nos próximos anos”, através de uma “alteração de políticas”.

“O conceito de austeridade, apela, erradamente, para um conjunto de políticas que estão associadas aos cortes nos salários, aumento de impostos, etc. O que nós achamos que se deve fazer é uma rutura com esta visão mas dentro do Tratado Orçamental”, sublinhou o economista.

Quando questionado se essas afirmações não se enquadram dentro de uma lógica de ‘quadratura do círculo’, uma vez que falam em menos retorno para o Estado, baixando de igual forma o défice, Centeno responde com uma metáfora.

“Não é uma quadratura do círculo, o que se tem tentado fazer em Portugal é fazer a economia avançar com um carro em que uma roda é um triângulo e temos que por uma roda no lugar do triângulo. Não é a quadratura do círculo, é a substituição do triângulo, com o qual queríamos avançar, pela roda”, afirmou.

Centeno avançou, ainda, que o que se propõe fazer é “um conjunto de medidas com o objetivo de repor rendimentos que foram cortados ao longo do período de exceção em que vivemos nos últimos quatro anos”. (noticiasaominuto.com)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA