Putin e Obama discutiram conflitos na Síria e na Ucrânia à margem de cúpula

(Foto de KAYHAN OZER/POOL/AFP/Arquivos)
(Foto de KAYHAN OZER/POOL/AFP/Arquivos)
(Foto de KAYHAN OZER/POOL/AFP/Arquivos)

Os presidentes Vladimir Putin e Barack Obama, discutiram nesta segunda-feira à margem da cúpula do clima em Bourget, perto de Paris, os conflitos na Síria e na Ucrânia, expressando-se a favor de acordos políticos, mas sem superar as suas diferenças.

A reunião, que durou cerca de meia hora, foi realizada “a portas fechadas”, segundo uma declaração da presidência russa.

Os dois presidentes “manifestaram-se a favor de uma solução política” para a guerra Síria, explicou, por sua vez, o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, citado pela agência de notícias Interfax.

Eles discutiram “a necessidade de progressos no processo de Viena”, confirmou um funcionário da Casa Branca.

A comunidade internacional fez renascer o espectro de uma solução política na Síria, com duas reuniões internacionais em Viena, em Outubro e Novembro, e um roteiro conduzindo a eleições dentro de 18 meses.

No entanto, Moscovo e Washington seguem divergindo sobre o destino do presidente sírio, Bashar al-Assad, que a Rússia apoia, enquanto os Estados Unidos querem a sua partida.

Nesta segunda-feira, “o presidente Obama reiterou sua convicção de que a saída de Bashar al-Assad é necessária, e salientou a importância de concentrar os esforços militares contra o grupo Estado Islâmico (EI), em vez da oposição moderada”, indicou uma fonte na Casa Branca.

À frente de uma coligação internacional, os Estados Unidos bombardeiam há mais de um ano o EI no Iraque e na Síria.

Desde Setembro, a Rússia também realiza incursões na Síria, mas é acusada de alvejar principalmente os grupos de oposição moderados.

Além disso, os presidentes americano e russo “também falaram sobre a Ucrânia e observaram a necessidade de implementar o mais rapidamente possível os acordos de Minsk”, indicou o porta-voz do Kremlin.

Estes acordos visam acabar com um conflito entre rebeldes pró-russos e o exército ucraniano, que provocou mais de 8.000 mortos no leste da Ucrânia desde Abril de 2014.

Este conflito levou a Rússia ao isolamento, uma vez que Moscovo é acusado de enviar tropas e armas para apoiar os rebeldes.

Neste contexto, Moscovo enfrenta pesadas sanções ocidentais.

Durante a reunião, o presidente Obama reiterou a Putin que se a Rússia cumprir todos os termos do Acordo de Minsk, “as sanções poderiam ser levantadas”, de acordo com a fonte na Casa Branca.

Finalmente, o presidente Obama expressou “pesar” depois da morte de um piloto russo, cujo avião foi abatido pela Turquia na fronteira com a Síria, e reiterou o seu apelo para a “redução de tensão” entre Ancara e Moscovo, segundo a fonte.

Putin recusou encontrar-se com o seu homólogo turco Recep Tayyip Erdogan, que expressou o desejo de se encontrar com o líder russo à margem da conferência sobre o clima. (afp.com)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA