Presidência de Angola no Processo Kimberley foi louvável

Ahmed Bin Sulayem - Vice-presidente do Processo Kimberley (Foto: Gaspar Dos Santos)
Ahmed Bin Sulayem - Vice-presidente do Processo Kimberley (Foto: Gaspar Dos Santos)
Ahmed Bin Sulayem – Vice-presidente do Processo Kimberley (Foto: Gaspar Dos Santos)

A presidência de Angola no processo Kimberley (PK) foi boa e conseguiu superar as expectativas a julgar pelo número de membros que sempre estiveram presentes nos encontros de trabalho convocados pela presidência do processo, considerou em Luanda, o vice-presidente do PK, Ahmed Bin Sulayem.

Em declarações à imprensa, Ahmed Sulayem, sublinhou que os Emirados Àrabes Unidos apreciou o trabalho desempenhado por Angola, um país que possui uma das economias emergentes e que está em franco desenvolvimento e com uma forte liderança na região.

Esclareceu que o controlo de preços dos diamantes a nível mundial não depende apenas de um só país, mas de várias situações do mercado.

Quanto à sociedade civil que terça-feira criticou duramente o Emirados Arabes Unidos no que respeita a falta de transparência nas actividades relacionadas com o PK, Sulayem garantiu que tais situações serão ultrapassadas e se chegará a um consenso.

O Emirados Àrabes Unidos é o actual vice-presidente do Processo Kimberley. Segundo as regras e procedimentos do Pk, este torna-se automaticamente presidente no fim do seu mandato.

O Emirados é um país que está bastante envolvido no comércio mundial de diamantes. Este país hoje colecciona diamantes (quer as importações dos diamantes brutos como o mercado dos lapidados), na ordem dos 25 biliões de dólares/ano.

Os Emirados Arabes Unidos iniciam o seu mandato de um ano na presidência do Processo Kimberley a um de Janeiro de 2016. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA