Polícia resgata criança mantida em cativeiro e obrigada a prostituir-se no Kilamba

Porta-voz provincial da PN, inspetor chefe Mateus Rodrigues (Foto: Alberto Julião)
Porta-voz provincial da PN, inspetor chefe Mateus Rodrigues (Foto: Alberto Julião)
Porta-voz provincial da PN, inspetor chefe Mateus Rodrigues (Foto: Alberto Julião)

A Polícia Nacional resgatou na segunda-feira uma criança de 14 anos de idade que era mantida em cativeiro e obrigada a prostituir-se na Centralidade do Kilamba, município de Belas, em Luanda.

O porta-voz do comando provincial da corporação, inspetor chefe Mateus Rodrigues, disse hoje, terça-feira, à Angop, que a criança que era obrigada a consumir drogas encontrava-se desaparecida da casa dos familiares há três semanas e foi resgatada depois de uma denúncia pública.

A criança foi encontrada em um restaurante da Centralidade do Kilamba.

“ Trata-se de uma situação bastante complicada, e que merece um tratamento bastante melindroso por parte das autoridades judiciais. Fala-se em carcere privado e cativeiro de meninas usadas como escravas sexuais”, sublinhou.

Acrescentou que tratando-se de menores a situação exige um tratamento cuidadoso (…), e a direcção do comando provincial da Polícia Nacional confirma o resgate da criança e a sua devolução ao convívio dos familiares.

Garantiu que as investigações estão em curso, no sentido de se apurar os supostos implicados e responsabiliza-los criminalmente.

Na ocasião o porta-voz aconselhou os pais e encarregados de educação a conhecerem e implementar algumas regras de segurança para os seus educandos.

De acordo com o responsável, os pais devem conhecer os horários dos filhos, os percursos de ida e volta da escola para casa, nomes e contactos dos colegas e amigos mais próximos, e a consultar regularmente os seus telemóveis e outros aparelhos ligado a redes sociais.

Aconselhou igualmente os responsáveis pelas crianças a conhecerem os locais mais frequentados pelos filhos, aconselha-los a não aceitar boleias de desconhecidos, principalmente as adolescentes.

O inspector chefe Mateus Rodrigues reiterou o apelo para que os menores não andem em zonas desertas sozinhos e informem os pais sobre qualquer contacto ou acontecimento estranho, pedir ajuda em caso de necessidade e contactar agentes da Polícia Nacional em patrulhamento ou na esquadra mais próxima.

Estes procedimentos, prosseguiu, podem evitar certas acções delituosas, assim como proporcionar um melhor acompanhamento dos educandos.

Segundo uma reportagem da Rádio Luanda, encontram-se envolvidos em uma rede de prostituição infantil figuras públicas como músicos, professores, empresários e jornalistas, que aliciam crianças para o mundo da droga e trabalham na Centralidade do Kilamba. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA