ONU chega a acordo para rastrear voos civis por satélite

(AFP)
(AFP)
(AFP)

Um acordo mundial foi alcançado durante uma reunião em Genebra para implementar um programa de rastreamento de voos civis via satélite, a fim de evitar o desaparecimento misterioso de aviões como o MH370 da Malaysia Airlines em Março de 2014, anunciou a ONU nesta quarta-feira.

O acordo foi alcançado na Conferência Mundial de Radiocomunicações, e diz respeito à atribuição de frequências radio-eléctricas para o rastreamento de voos em escala mundial.

O programa permitirá o rastreamento dos aviões em qualquer lugar do mundo a partir de 2017, enquanto actualmente 70% da superfície terrestre (oceanos, desertos, montanhas) ainda não permite essa vigilância.

“O fato de atribuir frequências para que estações espaciais possam receber sinais ADS-B provenientes de aeronaves vai permitir assegurar o rastreamento dos voos em tempo real em todo o mundo”, declarou François Rancy, director de radiocomunicações da UIT, a instituição especializada das Nações Unidas para as tecnologias da informação e da comunicação.

Caberá à Organização da Aviação Civil Internacional (OACI), outra agência da ONU com sede em Montreal, executar a medida junto com as companhias aéreas.

Concretamente, os especialistas reunidos em Genebra decidiram atribuir a banda de frequências 1 087-7 ​​a 1 092-3 MHz ao serviço móvel aeronáutico por satélite (Terra-espaço) para a recepção pelos satélites de emissões de sinais chamados ADS-B (Automatic dependent surveillance-broadcast) a partir de transmissores de aeronaves, informou a ITU em um comunicado.

A informação será então enviada automaticamente para as estações terrestres encarregadas do controle de tráfego aéreo.

Actualmente, esta faixa de frequência é usada para transmissões de sinais ADS-B a partir de aeronaves para as estações terrestres em visibilidade directa.

Esta faixa será “agora atribuída no sentido Terra-espaço para as emissões das aeronaves com destino aos satélites. A transmissão de sinais ADS-B é assim prorrogada para além da linha de visão, que irá localizar a posição da aeronave equipada com dispositivos de ADS-B em todo o mundo, incluindo sobre áreas oceânicas e polares e outras áreas remotas”, informa a UIT.

Este acordo surge na sequência do desaparecimento e da trágica perda do voo MH370 da Malaysian Airlines em Março de 2014 com 239 pessoas a bordo, que provocou debate internacional sobre o monitoramento de voos em todo o mundo. Até à data o avião foi localizado.

O dispositivo pode ser implementado em 2017, se os aviões forem adequadamente equipados. (afp.com)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA