OGE 2016. Investimento “tomba” quase 30%

(Foto: D.R.)
(Foto: D.R.)
(Foto: D.R.)

No próximo ano o Estado vai gastar 4,3 biliões Kz e cobrar apenas 3,5 biliões Kz, do que resultará um défice de quase 800 mil milhões nas contas públicas angolanas, o terceiro buraco orçamental em três anos.

Em 2016, o investimento público vai sofrer um ‘corte’ de 28,2% face à previsão de execução de 2015, de acordo com a proposta de Lei de revisão do Orçamento Geral do Estado (OGE) para o exercício económico de 2016 entregue dia 29 de Outubro, quinta-feira, na Assembleia Nacional (AN).

A verba inscrita no OGE 2016 para aquisição de activos fixos, que corresponde ao investimento, não ultrapassa os 815,6 mil milhões Kz, contra 1,1 biliões Kz da previsão de execução do OGE 2015 Revisto. É o segundo ano consecutivo em que o investimento cai quase 30%: em 2015, o investimento deverá recuar 27,7% face aos 1,5 biliões Kz de 2014.

Quando bem seleccionado, bem projectado, bem adjudicado, bem executado, bem fiscalizados e bem mantido, o investimento público é considerado pelos economistas como boa despesa devido ao seu efeito reprodutivo ao longo de vários anos. Isto, por oposição à ‘má despesa’, constituída pelas despesas correntes – somatório dos salários, bens e serviços, juros e transferências correntes, como subsídios e prestações sociais -, cujo efeito praticamente se resume ao ano em que são realizadas. (expansao.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA