Oficiais da Polícia de Guarda Fronteira actualizam conhecimentos

Comandante da Polícia de Guarda Fronteira, António Kandela (Foto: Lino Guimaraes)
Comandante da Polícia de Guarda Fronteira, António Kandela (Foto: Lino Guimaraes)
Comandante da Polícia de Guarda Fronteira, António Kandela
(Foto: Lino Guimaraes)

Oficiais de direcção da Polícia de Guarda Fronteira iniciaram nesta quarta-feira, em Luanda, um ciclo de formação para elevar os níveis de conhecimento técnico profissional e executar com eficiência as disposições operativas, em prol da protecção das fronteiras nacionais.

Ao intervir no acto de abertura do encontro, a conselheira do comandante geral da Polícia Nacional, comissário-chefe Elisabeth Ranque Frank, declarou que a aposta na formação constitui garantia segura para o êxito da profissionalização do efectivo e reforço da capacidade da corporação para o cumprimento das tarefas a si confiadas.

Com efeito, a oficial espera que a reunião metodológica venha constituir uma mais-valia na actualização permanente de conhecimentos.

Por outro lado, o comandante da Polícia de Guarda Fronteira, comissário chefe António Pedro Kandela, afirmou que se pretende com este encontro metodológico perspectivar sobre a necessidade da elaboração da Lei Sobre a Segurança Estatal.

Aferiu que a protecção e segurança das fronteiras nacionais se consolida todos os dias, graças ao espírito voluntarioso, patriotismo e prontidão de todos os efectivos da estrutura de comando, de cada unidade, subunidade e postos de guarda fronteira.

No encontro, com duração de três dias, participam mais de 70 oficiais de comando, nomeadamente chefes de departamento do órgão central, comandantes das unidades territoriais e das subunidades da Polícia de Guarda Fronteiras.

A Polícia de Guarda Fronteira é um órgão operativo do Comando-Geral da PN, ao qual compete a protecção das fronteiras comuns que limitam com a República de Angola, devendo colaborar na execução da política de defesa e ordem pública. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA