Namibe: Apresentado Projecto de Desenvolvimento institucional do Sector das Aguas

Participantes a apresentação da consulta pública do projecto de desenvolvimento institucional do sector das águas (Foto: Clemente Ndala)
Participantes a apresentação da consulta pública do projecto de desenvolvimento institucional do sector das águas (Foto: Clemente Ndala)
Participantes a apresentação da consulta pública do projecto de desenvolvimento institucional do sector das águas (Foto: Clemente Ndala)

O Projecto de Desenvolvimento Institucional do Sector das Águas (PDISA) denominado “PDISA-2” foi apresentado hoje, terça-feira, aos munícipes do Namibe, no âmbito da consulta pública promovido pelo Ministério de Energia e Águas.

De acordo com a sua responsável, que o apresentou, Alexandrinha Pires, diz tratar-se de um projecto co-financiado pelo Banco mundial e tem a previsão de custos avaliados em cerca de 300 milhões de dólares americanos (1 USD equivale a 135.983 Kwanzas).

A primeira fase do projecto “PDISA-1” está a ser implementada desde 2010 nas cidades de N’Dalatando, província do Cuanza Norte, Malanje, Uíge, Huambo, Kuito (Bié), Luena (Moxico) e Lubango na Huíla.

No âmbito desse projecto, serão executados 643km de rede e 132 mil ligações domiciliarias, correspondentes a cerca de 924 mil pessoas.

A segunda fase denominada PDISA-2, o Governo de Angola vai comparticipar com 30 porcento, cuja franja apenas, poderá ser paga dez anos depois, um período que dá possibilidades para o país crescer.

Explicou ainda que nessa segunda fase do projecto, prevê-se a execução de mais de mil e 220km de rede e execução de 192 mil ligações, correspondentes a mais de um milhão e 300 mil pessoas nas cidades acima referenciadas incluindo Namibe.

Segundo a interlocutora, no Namibe está previsto o aumento da rede de distribuição para mais de 160 mil pessoas beneficiárias e aumento da capacidade de produção para mais de mil e 200 litros por hora.

De acordo com a técnica do Ministério de Energia e Águas, a consulta pública do projecto é uma das condições que o Banco Mundial pede para a sua aprovação e seu posterior financiamento.

Salientou que a consulta pública do projecto vai ser feita em todas as províncias abrangidas, até dia 15 de Dezembro próximo, para em Fevereiro de 2016 ser assinado o acordo de financiamento e posteriormente seguir-se-ão outras fases do arranque do mesmo.

Participaram da cerimónia de apresentação pública do projecto, o governador provincial Rui Falcão e vice-governadores, directores provinciais, membros da sociedade civil, para além de estudantes universitários. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA