Mudanças no sistema americano forçam bancos a sair de Angola

(Foto: D.R.)
(Foto: D.R.)
(Foto: D.R.)

Mudanças no sistema bancário norte-americano traduzidas num maior rigor à volta do compliance, isto é, respeito rigoroso das leis americanos está a levar bancos internacionais a congelarem a sua condição de correspondentes de bancos de Angola, apurou o Semanário Económico junto de fonte oficial.

Esta retirada tem resultado no encerramento progressivo das contas que os bancos comerciais angolanos têm nesses bancos.
Depois do City Bank e do HSBC terem-no feito, o Standard Chartered Bank prepara-se para fazer o mesmo a partir do final do ano.

Instituíções ligadas a esta questão disseram ao Semanário Económico que a “saída” do City Bank e do HSBC, consumada há alguns anos teve origem num levantamento feito por uma equipa do Congresso dos EUA, que detectou muitas zonas cinzentas nas operações destes bancos em Angola. “ O HSBC pagou uma avultada multada. Depois disso decidiu sair”, rematou a nossa  fonte.

O Standard Chartered Bank, cuja decisão não faz muito tempo, teria decidido seguir o mesmo caminho pelo facto de os Estados Unidos da América terem elevado sobremaneira os níveis de compliance com que deverão operar tanto em Angola, como noutros mercados. “ Estes bancos têm que suportar custos mais elevados para responderem às exigências impostas pelos EUA”.

As exigências incluem, entre outros, questões à volta da capacidade dos bancos locais serem capazes de aferir sobre a titularidade de algumas contas, origem de determinados fundos e determinadas transacções. (semanarioeconomico.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA