Motim na ilha de Natal volta a revelar condições de centros de imigrantes na Austrália

(Euronews)
(Euronews)
(Euronews)

As autoridades australianas afirmam ter retomado o controlo sobre o centro de detenção da ilha de Natal, palco de um violento motim desde domingo.

A polícia e o exército, assim como a empresa privada de segurança que gere a instalação, teriam utilizado balas de borracha e gás lacrimogéneo para pôr fim à revolta, após a morte de um detido iraniano, em circunstâncias que permanecem misteriosas.

Segundo o ministro da imigração, Petter Dutton,

“O centro de detenção de imigrantes na Ilha do Natal é ocupado por uma população criminosa, e todas as pessoas que pensam poder agir fora da lei vão enfrentar as consequências dos seus actos. Quero também prestar a minha homenagem à polícia federal e ao exército australiano, pelos seus esforços para restabelecer a estabilidade no centro. Abrimos entretanto uma investigação para apurar as causas desta revolta”.

Pelo menos cinco detidos teriam ficado feridos durante o assalto das autoridades.

A situação volta a revelar as condições dos centros de detenção australianos, em ilhas remotas como Manus, Nauru, no Pacífico ou a ilha de Natal, no Índico.

Desde o ano passado que a instalação acolhe não só refugiados como criminosos à espera de serem extraditados.

Uma situação denunciada por várias vezes por organizações como a Amnistia Internacional.

No ano passado o Senado australiano tinha acusado o governo de não proteger os refugiados, depois da morte de um iraniano de 23 anos, durante um motim no centro de detenção de Manus que tinha provocado 69 feridos. (euronews.com)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA