Morte de uma Mulher considerada tragédia de grande impacto nas famílias

Mulher gravida na maternidade Lucrécia Paim (Foto: Rosario dos Santos)
Mulher gravida na maternidade Lucrécia Paim (Foto: Rosario dos Santos)
Mulher gravida na maternidade Lucrécia Paim (Foto: Rosario dos Santos)

A maioria das mortes maternas são evitáveis e passíveis de serem eliminadas, desde que a mulher em estado de gestação seja seguida adequadamente por especialistas de saúde.

A afirmação é de Isilda Neves, especialista em saúde pública, ao apresentar o tema” O sistema de vigilância epidemiológica da mortalidade materna desafios e oportunidades”, no III Congresso de Ciências de Saúde da Clínica Multiperfil.

Para si, a morte de uma mulher é uma tragédia com grande impacto no bem-estar das famílias afectadas, especialmente na sobrevivência e desenvolvimento dos seus filhos, particularmente as crianças.

Avançou que, em 2010, a Organização Mundial da Saúde (OMS) aponta para a ocorrência de 287 mil óbitos maternos no mundo, por causas relacionadas com gravidez, o parto e o puerpério, e destes 99 por cento ocorreram em países em vias de desenvolvimento.

Enfatizou que a mortalidade materna é um indicador muito sensível que estabelece a diferença entre os países desenvolvidos.

A Mestre em saúde publica e gestão de saúde referiu que a morte de uma mulher, segundo a OMS, é definida durante a gestação ou dentro de um período de 42 dias após o seu termino, independentemente da duração ou localização da gravidez.

Salientou ainda que a mortalidade materna em Angola, de acordo com estimativas da OMS (Maio 2014), desceu a um ritmo de menos de 2,4 por ano, no período de 1990 a 2000, e de menos 6,5 por cento em 12 meses.

Assim, lembrou que a OMS orientou os países para que a morte materna fosse incluída como evento de saúde publica de notificação obrigatória e fosse integrada no sistema de vigilância de doenças e respostas.

O sistema de notificação de mortes maternas e respostas é um ciclo continuo que providencia dados de mortalidade materna em tempo real, identifica as causas de morte e os factores que contribuem para a sua ocorrência com foco na utilização dos achados para o planeamento de acções efectivas. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA