Ministro da Comunicação Social deplora morte de Pedro Ramalhoso

PEDRO RAMALHOSO (Foto: Antonio Escrivão)
PEDRO RAMALHOSO (Foto: Antonio Escrivão)
PEDRO RAMALHOSO (Foto: Antonio Escrivão)

O Ministério da Comunicação Social tomou com “profundo pesar” conhecimento do falecimento do jornalista Pedro Alfredo Ramalhoso, ocorrido na manhã desta terça-feira, em Luanda, vítima de doença, indica uma mensagem de condolências, assinada pelo titular da pasta, José Luís de Matos.

Pedro Alfredo Ramalhoso, homem de trato fácil, fez parte da equipa de profissionais que fundou a Televisão Popular de Angola, onde se notabilizou na apresentação dos principais serviços noticiosos e programas de entretenimento, indica a mensagem.

Na TPA desempenhou funções de direção de serviços e esteve ligado ao processo de criação do banco de dados para a troca de programas no âmbito da URTNA (União das Rádios e Televisões Nacionais de África) e da SABA (Associação das Rádios da África Austral), lê-se ainda no texto.

Pedro Ramalhoso exerceu, até ao momento da sua morte, em comissão de serviço no Ministério da Cultura, o cargo de director do Instituto Angolano de Cinema, Audiovisual e Multimédia (IACAM).

“A família da comunicação social angolana perde um companheiro de trabalho, que soube sempre dar o seu melhor, tendo contribuído com o seu saber e profissionalismo para a elevação da qualidade do serviço público de Televisão”, escreve o ministro José Luís de Matos.

“Neste momento de dor, o Ministério da Comunicação Social endereça à família enlutada, à TPA e aos profissionais do Instituto Angolano de Cinema, Audiovisual e Multimédia os mais profundos sentimentos de pesar”, conclui. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA