Mais de 10 mil polícias e muitos soldados nas ruas de Paris no início da Conferência do Clima

Militares em patrulha na Torre Eiffe iluminada com as cores da bandeira francesa (Foto: Governo Francês)
Militares em patrulha na Torre Eiffe iluminada com as cores da bandeira francesa (Foto: Governo Francês)
Militares em patrulha na Torre Eiffe iluminada com as cores da bandeira francesa (Foto: Governo Francês)

A Cimeira do Clima, que se inicia esta manhã em Paris, no Centro de Exposições Le Bourget (norte da cidade) e vai durar até ao próximo dia 11 de Dezembro, tornará o quotidiano dos cidadãos da cidade luz – já abalado pelos atentados de 13 de Novembro – num verdadeiro inferno.

Já ontem e apesar de ser domingo, a capital francesa esteve um verdadeiro caos, com a chegada de centenas de comitivas governamentais de todas as partes do globo. É que vão estar em Paris mais de 130 chefes de Estado. Mas esta manhã, os parisienses vão sentir muitas dificuldades para chegarem aos seus locais de trabalho.

Para facilitar a circulação, os transportes públicos e o estacionamento residencial vão ser grátis. As empresas foram aconselhadas pelas autoridades a promover o teletrabalho e haverá restrições de trânsito em toda a região que envolve a cidade de Paris.

Hoje vão estar em Le Bourget, quase 150 líderes mundiais  que fazem questão de marcar presença na abertura da Conferência do Clima em Paris. E isso fez com que a cidade tivesse de se preparar com medidas de segurança extraordinárias. Estas medidas vão ter uma influência directa na vida dos parisienses e de quem escolheu visitar a cidade nestes dias. As restrições começaram já ontem, apesar de ser domingo, altura em que os líderes mundiais começaram a chegar à capital francesa.

Pelo que pudemos apurar, o metro, autocarro e comboio vão ser grátis em toda a grande região parisiense. Também as bicicletas que podem ser alugadas, as Velib, vão ser grátis. O estacionamento residencial será também será gratuito hoje. Estas medidas visam evitar filas ou grandes concentrações de pessoas, permitindo que quem tem de se deslocar na cidade o faça de forma mais rápida – e até que prefira deixar o carro em casa e use os transportes colectivos.

Militares em patrulha no aeroporto de Orly (Foto: Governo Francês)
Militares no aeroporto de Orly (Foto: Governo Francês)

Algumas das principais estradas que dão acesso à cidade de Paris vão estar com trânsito condicionado e até cortado durante toda a manhã de hoje. Os principais acessos condicionados são a A1 entre Roissy e Paris, A106 e l’A6 entre o aeroporto de Orly e Paris. Dentro da cidade, alguns dos principais eixos de circulação vão servir como itinerário de segurança e passará entre a Praça Concorde e a Porta de Asnières.

A partir de hoje e até ao próximo dia 13 Dezembro, a venda de algumas substâncias está interdita na região de Paris. Álcool desnaturado, solventes, acetona e gases inflamáveis, nomeadamente botijas de butano e propano são algumas das substâncias que não podem ser vendidas nem transportadas. Também não se podem vender quaisquer materiais relacionados com fogo-de-artifício.

Mais 10 mil agentes policiais e militares vão reforçar a segurança da cidade. Depois dos atentados de 13 de Novembro, toda a região de Paris está a ser vigiado por mais de 120 mil polícias e militares. As manifestações que estavam previstas para domingo foram proibidas depois dos atentados, de modo a tornar mais fácil a segurança deste evento. (PA)

Reportagem:  José Valentim Peixe em Paris

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA