Luanda engalanada para os 40 anos da Independência Nacional

Uma das Ruas de Luanda (Foto: Angop/Arquivo)
Uma das Ruas de Luanda (Foto: Angop/Arquivo)
Uma das Ruas de Luanda (Foto: Angop/Arquivo)

A cidade de Luanda, com realce para a zona baixa que abrange a Baia e a Nova Marginal, que vai acolher quarta-feira o acto central das celebrações dos 40 anos de Independência Nacional, encontra-se engalanada com as cores da bandeira da República.

As cores vermelha, amarela e preta, patentes nos dísticos e flâmulas afixadas em postes de iluminação eléctricas, prédios, árvores e pedonais são os sinais dos festejos dos 40 anos de soberania.

A Praça da República, contígua ao Memorial António Agostinho Neto, onde vai decorrer o acto central, encontra-se preparada para que os angolanos celebrem e relembrem condignamente a madrugada do dia 11 de Novembro de 1975, quando o primeiro Presidente de Angola, António Agostinho Neto, proclamou, perante à África e ao Mundo a Independência do país.

Na avenida Ho Chi Min é possível verificar-se, ao longo da estrada, painéis publicitários com a bandeira da República de Angola de um lado e do outro a indicação dos 40 anos da independência com as cores da insígnia.

No entanto alguns munícipes contactados pela Angop, referiram que esperavam mais cor e muito mais movimento.

Andreia Neto, da Samba, é de opinião que outras zonas da cidade deviam estar também muito mais engalanadas, com mais cor e flâmulas por toda a parte.

Segundo a munícipe, toda a atenção foi posta, com toda a razão, na Nova Marginal, mas acha que podia existir mais “cores” em outros municípios.

Evandro Osvaldo, do distrito da Maianga, é de opinião que devia existir mais flâmulas. “ acho que a cidade está enfeitada de forma tímida. Quase não se vê um ambiente festivo”.

Para os desfiles do dia 11 de Novembro estão organizados mais de 10 blocos, em representação das áreas da administração pública, educação, saúde e ambiente, cultura e comunicação social, desporto, comércio, hotelaria e turismo, mercados e feiras, indústria, agricultura, pescas, organismos militares e para militares, ente outras,

Os infantis e os antigos combatentes também desfilarão pela pista do Memorial, com cerca de 500 metros de extensão, demonstrando resistência e satisfação pelos muitos ganhos que o país teve ao longo dos 40 anos de independência.

A Orquestra Sinfónica Kaposoka, encarregue de executar o hino da República de Angola, e as bandas da Unidade de Guarda Presidencial (UGP) e das Forças Armadas Angolanas (FAA), estarão também presentes. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA