Jornalistas turcos formalmente acusados de tentativa de golpe de Estado (vídeo)

(Euronews)
(Euronews)
(Euronews)

Os dois jornalistas e diretores da revista Nokta, detidos na segunda-feira em Istambul, foram formalmente acusados de tentativa de golpe de Estado. No centro da polémica está o mais recente número da publicação cuja capa classifica a vitória por maioria absoluta do Partido da Justiça e Desenvolvimento (AKP) como “o princípio da guerra civil”.

Na semana passada, a polícia tinha encerrado dois canais de televisão do grupo Koza-Ipek, ligados à oposição. Desde então, e segundo os meios de comunicação locais, 58 jornalistas do grupo foram demitidos.

Também esta terça-feira a polícia turca deteve dezenas de pessoas, incluindo oficiais de polícia e governadores, alegadamente ligadas a Fethullah Gulen, o clérigo muçulmano rival de Erdogan, exilado desde domingo.

À margem de todas estas movimentações o AKP continua a fazer a festa. O primeiro-ministro e líder do partido no poder, Ahmet Davutoglu, foi recebido por milhares de apoiantes no aeroporto em Istambul, no regresso de Ancara:

“O nosso povo disse “governem o país sozinhos”. Se a Nação decide que devemos servir o povo, devemos ficar parados? Vamos começar a trabalhar a partir de hoje”, afirmou o chefe do executivo turco.

Segundo fontes oficiais, o novo gabinete, que será, provavelmente, anunciado no fim da próxima semana, inclui assessores de topo de Erdogan, o primeiro-ministro Davutoglu deverá manter o controlo sobre a pasta da economia. (euronews.com)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA