Huíla: Identificadas 109 áreas suspeitas com minas

Acção de desminagem (Foto: Rosário dos Santos)
 Acção de desminagem (Foto: Rosário dos Santos)

Acção de desminagem (Foto: Rosário dos Santos)

A representação da Comissão Nacional Intersectorial de Desminagem e Assistência Humanitária (CNIDAH) na Huíla identificou este ano, 109 áreas suspeitas com minas, o que corresponde a dois milhões, 691 mil e 431 metros quadrados de superfície.

Os dados vêm expressos num relatório da Coordenação provincial da Huíla e acção contra minas, que a Angop teve acesso hoje, domingo, referindo existir igualmente 25 campos minados e que estão por ser limpos nos 14 municípios.

Segundo o documento, estes campos foram identificados através de um trabalho de pesquisa e reconhecimento técnico, bem como algumas acções pontuais de remoção de engenhos remanescentes da guerra.

O problema da contaminação, segundo o documento, está concentrado nos municípios do Lubango, Chicomba, Cacula, Caluquembe, Caconda, Jamba, Cuvango e Matala.

Entretanto, no âmbito do processo de desminagem realizado este ano, os técnicos das operadoras envolvidas nas actividades: INAD, FAA, Hallo Trust e Ango West, clarificaram 998 mil e 116 metros quadrados de terra, nove quilómetros de estrada entre Indungo/ Munba (Quilengues).

Segundo o relatório, neste período foram removidas 18 minas anti-pessoal, cinco anti-tanque e 730 uxos diversos.

Relativamente, ao processo de educação sobre o risco de minas, sete mil e 208 cidadãos foram sensibilizados contra o perigo, sendo que quatro mil 353 mulheres e duas mil 633 crianças.

A província da Huíla tem uma população estimada em dois milhões, 354 mil e 398 habitantes, sendo que um milhão, 117 mil e 342 são do sexo feminino, segundo os dados provisórios do Censo2014. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA