Governo de gestão? Afinal, Passos estará disposto a liderá-lo

(DR)
(DR)
(DR)

Garantia foi dada pelo ainda primeiro-ministro nos bastidores sociais-democratas.

Os acordos que o PS procura junto da Esquerda podem não significar uma chegada ao poder. Mesmo com moção de rejeição ao programa do ainda Executivo, Cavaco pode não empossar um governo minoritário do PS.

Ora, se isso acontecer, emerge a solução de um Governo de gestão que, afinal, segundo apurou o Público, não demoverá Passos Coelho. O jornal sabe que no seio do PSD, Passos já terá dito: “serei primeiro-ministro até ser substituído, não penso meter baixa, fazer greve, dizer que me vou embora”.

A mesma publicação adianta também que o chefe do Executivo terá comentado ainda: “Tenho estado a preparar a ação governativa para ser Governo. Quem derrubar o Governo tem de dizer o que quer fazer, se a maioria absoluta atirar o Governo abaixo tem de dizer o que quer fazer”.

Fica assim garantida a disponibilidade de Passos Coelho em manter-se à frente da governação, mesmo que ‘em suspenso’, do país. E os acordos com o PS ainda são possíveis.

“Apresentarei no Parlamento o programa de governo sufragado pelos portugueses e adaptado à circunstância de existir uma maioria relativa, logo um programa aberto à negociação e ao compromisso, e é nessa base que faremos a discussão”, esclareceu o primeiro-ministro. (noticiasaominuto.com)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA