Georges Chikoti constata sinais positivos dos EUA sobre Angola

Ministro das Relações Exteriores, Georges Rebelo Pinto Chikoti (Foto: Alberto Julião)
Ministro das Relações Exteriores, Georges Rebelo Pinto Chikoti (Foto: Alberto Julião)
Ministro das Relações Exteriores, Georges Rebelo Pinto Chikoti (Foto: Alberto Julião)

A disponibilidade americana em ouvir a posição do Executivo Angolano, sobre o que se passa em Angola, a nível regional e global constitui para o ministro das Relações Exteriores, Georges Chikoti, “um sinal bastante positivo”.

O governante angolano disse quinta-feira, em Washington, que ficou bastante encorajado pelo interesse demonstrado pela parte americana em relação às decisões da República de Angola quanto aos conflitos à volta do país, assim como a questões inerentes ao desenvolvimento político, económico e social de África.

Uma nota de imprensa da Embaixada de Angola nos EUA, enviada hoje à Angop, citando o governante angolano, afirma que, relativamente ao continente africano, os EUA pretendem trabalhar muito mais com Angola, mantendo contactos regulares sobre os grandes temas do continente.

Georges Chikoti fez estas declarações no último dia da visita aos EUA, em que se encontrou com o Corpo Diplomático Africano, na embaixada de Angola, mostrando-se, satisfeito com a reunião com secretário de Estado John Kerry, de quem constatou “maior abertura e visão mais próxima do continente africano”.

Por outro lado, enfatizou e agradeceu o apoio prestado pelo continente africano, no geral, em particular pelos países vizinhos, nomeadamente a República do Congo e a República Democrática Congo, que se empenharam durante o período da luta pela independência de Angola.

O ministro considerou a reunião com o corpo diplomático africano de grande relevância por permitir partilhar algumas das conquistas alcançadas a nível do continente, como membros da União Africana, particularmente.

O chefe da diplomacia angolana aproveitou a ocasião para mencionar a questão do terrorismo internacional que afecta o mundo inteiro, incluindo África como é o caso dos recentes incidentes na Nigéria, tendo enfatizado o desafio do continente em melhor promover a sua imagem, criando mecanismos que sirvam para informar o mundo sobre o que acontece no continente.

Fez referência à importância da existência de um mecanismo junto do Conselho de Segurança da ONU, de gestão dos conflitos que ainda assolam o continente, a fim de que África possa chegar a um consenso na sua resolução, de forma coordenada, organizada e mais eficiente.

Por sua vez, Serge Mombouli, embaixador da República do Congo em Washington, decano do corpo diplomático africano, realçou que Angola, com os índices do seu crescimento económico, é um dos principais parceiros dos EUA e joga um importante papel na preservação da paz no continente africano.

Georges Chikoti realizou uma visita de três dias aos Estados Unidos da América, no âmbito do programa de celebrações do 40º aniversário da Independência Nacional, organizado pela Embaixada de Angola.

Foi recebido, em audiência, pelo secretário de Estado americano, John Kerry, e participou na Conferência “Angola Day”, evento que encerrou, em Washington, as celebrações dos 40 anos da Independência Nacional. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA