EUA poderiam enviar mais tropas à Síria, diz Pentágono

(AFP)
(AFP)
(AFP)

Os Estados Unidos poderão enviar mais tropas para a Síria para ajudar na luta contra o Estado islâmico, se encontrar forças locais dispostas e capazes de enfrentar os jihadistas – afirmou o secretário de Defesa, Ashton Carter.

Em entrevista à rede de televisão norte-americana ABC neste domingo, ao ser perguntado sobre se os Estados Unidos estão dispostos a enviar mais tropas para a Síria, Carter respondeu: “É claro”.

Ele ressaltou que assim os Estados Unidos podem “levar o valor total da nossa experiência para as forças locais que vivem na área e quando derrotarem o Estado Islâmico (EI), poderão restaurar a vida normal e os norte-americanos voltarão para casa” disse.

“Nós vamos ajudá-los (os combatentes contra o Estado Islâmico) e ver. Se o seu número está crescendo (…) e se encontrarmos mais grupos dispostos a lutar contra os jihadistas, que são capazes e motivados, faremos ainda mais para ajudá-los”, prometeu o chefe do Pentágono.

“O presidente manifestou sua vontade de fazer mais e estou certamente disposto a encorajá-lo nisso, mas necessitamos de forças locais capazes de enfrentar o grupo Estado Islâmico (EI), que é a chave para uma vitória duradoura”, insistiu.

Em 30 de Outubro, o presidente Barack Obama autorizou o envio de um pequeno contingente de forças especiais ao norte da Síria para participar das acções contra os jihadistas.

O secretário de Defesa explicou que esse contingente “não é um problema”.

“O que faz esse contingente de elite é fazer que as forças locais – uma mistura de curdos sírios e árabes desejosos de lutar contra o EI – sejam capazes de enfrentar os jihadistas, proporcionando todas as capacidades dos Estados Unidos como inteligência, apoio aéreo”, apontou.

Actualmente, “esses grupos de combatentes são difíceis de serem encontrados no Iraque e na Síria, e essa é a razão pela qual vai levar um tempo”, disse Carter. (afp.com)

 

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA