EUA: Espião israelita contesta condições de libertação

(Euronews)
(Euronews)
(Euronews)

Nos Estados Unidos, Jonathan Pollard, um judeu americano espião ao serviço de Israel foi posto em liberdade condicional esta sexta-feira, após trinta anos de reclusão considerada desproporcionada por Telavive.

O advogado de defesa contesta as condições de libertação que considera opressivas. Visto como herói em Israel, o ex-analista da Marinha dos Estados Unidos deixou a prisão de Butner, uma pequena cidade no estado da Carolina do Norte. Mas continua sujeito a permanecer cinco anos nos EUA.

O primeiro-ministro israelita declarou que Jonathan Pollar deve passar o seu primeiro sábado com a família.

“ Quero que Jonatahn passe o seu primeiro sábado com a família num ambiente de alegria e muita paz. Que esta seja a imagem do resto de sua vida.”

Pollar foi condenado em 1987 por passar informação classificada a Israel.

Durante anos, a situação deste detido, que se tornou um ícone da direita israelita, chegou a ser objecto de negociação para eventual troca com prisioneiros palestinianos.

Os diferentes presidentes recusaram sempre a libertação antecipada do espião. (euronews.com)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA