ENSA realiza exposição de artes plásticas 40 anos de independência

obras de artes plásticas de criadores angolanos em exposição (Foto: cedidas a Angop/arquivo)
 obras de artes plásticas de criadores angolanos em exposição (Foto: cedidas a Angop/arquivo)

obras de artes plásticas de criadores angolanos em exposição (Foto: cedidas a Angop/arquivo)

A exposição de artes plásticas denominada “Obras do Acervo Artístico da Colecção Ensa” a ter lugar a partir de quinta-feira, 5, na casa de Cultura Brasil/Angola, em Luanda, numa promoção da seguradora angolana Ensa Seguros de Angola S.A, marcará os 40 anos da independência nacional e os 37 de existência da empresa.

Em nota de imprensa enviada nesta quarta-feira à Angop, a Ensa avança que o evento vai juntar as obras premiadas das mais variadas edições do Prémio ENSA Arte, incluindo algumas que estiveram expostas em Veneza, Roma e Lisboa.

Para além da exposição serão também homenageadas algumas figuras que contribuíram significativamente para a Colecção ENSA Arte.

O presidente do Conselho de Administração da ENSA, Manuel Gonçalves, adianta que a iniciativa visa juntar-se ao entusiasmo popular na comemoração da maior festa do país, a independência nacional, que se assinala a 11 de Novembro.

“A Ensa tem um dos maiores acervos disponíveis sobre a história da arte angolana. Por isso, queremos marcar presença evidenciando e mostrando, através desta exposição, o trabalho que com muita criatividade tem sido feito por ilustres artistas plásticos angolanos que ao longo das mais de duas décadas do Prémio ENSA ARTE têm permitido o registo das várias manifestações da vida social, económica e política”, disse.

O Prémio Ensa Arte (voltado para as artes plásticas) é de âmbito nacional e com periodicidade bienal tem como destinatários jovens e conceituados criadores de obras de pintura e escultura que protagonizam as tendências estéticas destas duas modalidades.

Considerado uma referência no panorama das artes plásticas em Angola, o Prémio Ensa Arte foi instituído em 1991, altura em que começou o concurso Ensa de pintura, tendo a ideia surgido no ano anterior a partir de uma exposição de sete pintores angolanos: Viteix (primeiro artista premiado), Henrique Abranches, Augusto Ferreira, Jorge Gumbe, António Ole, Telmo Vaz Pereira e José Zan Andrade. Em 1996, com a entrada de mais uma disciplina (Escultura), o concurso passa a Prémio com a denominação Ensa-Arte, agregando as duas modalidades.

Com uma qualidade inquestionável a nível nacional, o Prémio Ensa-Arte ultrapassou fronteiras e chegou a uma das maiores montras de artes plásticas do mundo, a Bienal de Veneza.

A convite do Ministério da Cultura, 26 obras da Colecção Ensa Arte estiveram patentes na Bienal de Veneza, em 2013, contribuindo desta forma para que o Pavilhão de Angola fosse distinguido, dentre 88 países, com o mais importante prémio: o Leão de Ouro. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA