Embaixador agradece apoio à causa angolana

Alfredo Manuel Mingas - Embaixador de Angola em São Tomé e Príncipe (Foto: Angop)
Alfredo Manuel Mingas - Embaixador de Angola em São Tomé e Príncipe (Foto: Angop)
Alfredo Manuel Mingas – Embaixador de Angola em São Tomé e Príncipe (Foto: Angop)

O apoio internacional à causa angolana mereceu o agradecimento do embaixador de Angola em São Tomé e Príncipe, Alfredo Eduardo Mingas, durante a cerimónia comemorativa dos 40 anos da independência, que decorreu no Palácio dos Congressos, na capital do arquipélago.

O diplomata angolano expressou, no seu discurso de quarta-feira, o sentimento de gratidão para com “os povos e países que estenderam a sua solidariedade à causa angolana; que acolheram, nos seus territórios, os nossos combatentes, durante a perseguição que lhes foi movida pelo colonialismo”.

Alfredo Mingas referiu-se, entre outros países, ao Brasil, que reconheceu de imediato a independência de Angola, mal o Presidente Agostinho Neto tinha acabado de proclama-la, perante a África e o Mundo.

O “Grito de Ipiranga”, afirmou o diplomata, que abriu caminho à Independência do Brasil, a 7 de Setembro de 1822, “pôde, séculos mais tarde, ter inspirado os angolanos a se unirem para o combate pela Liberdade”.

Uma palavra especial ficou também para São Tomé e Príncipe, “país que nos acolhe e com o qual temos forte relação de cooperação e de amizade e de consanguinidade”, no dizer de Alfredo Mingas.

Durante a intervenção, o embaixador em São Tomé e Príncipe fez uma resenha do passado de Angola, antes e após a independência. Destacou os sacrifícios consentidos e a bravura dos heróis que deram a vida pela conquista da soberania. Sublinhou os ganhos do país nos mais diferentes sectores, desde que alcançou a Independência.

O Governo e o Estado são-tomenses estiveram representados na gala comemorativa dos 40 anos da independência em São Tomé e Príncipe, pelo ministro dos Negócios Estrangeiros, Salvador dos Ramos, e pelo vice-Presidente da Assembleia Nacional, Levi Nazaré, respectivamente.

O chefe da diplomacia do arquipélago destacou, na sua intervenção, o elevado sentido patriótico dos angolanos e a coragem com que se entregaram no combate ao colonialismo. Salvador dos Ramos reconheceu os avanços que Angola tem experimentado e louvou os esforços dos governantes do país em oferecer melhores condições às populações.

A comemoração do 11 de Novembro no arquipélago são-tomense, que juntou cerca de 350 pessoas, encerrou com a actuação do cantor angolano Puto Português e do são-tomense Mister Page.

Reconhecimento do Brasil

Entretanto, a Embaixada do Brasil em São Tomé e Príncipe realiza, na próxima segunda-feira, uma palestra subordinada ao tema “O Reconhecimento pelo Brasil da Independência de Angola”.

A ser proferida pelo embaixador do Brasil em São Tomé e Príncipe, José Carlos de Araújo Leitão, o evento vai juntar académicos, diplomatas, políticos e representantes da sociedade civil do arquipélago. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA