Duas mil pessoas mortas nas estradas de Moçambique

Em 2014 duas mil pessoas morreram nas estradas de Moçambique (RFI/Neidy Ribeiro)
Em 2014 duas mil pessoas morreram nas estradas de Moçambique (RFI/Neidy Ribeiro)
Em 2014 duas mil pessoas morreram nas estradas de Moçambique
(RFI/Neidy Ribeiro)

Em 2014 os acidentes de viação mataram duas mil pessoas em Moçambique. Os resultados são da associação moçambicana para as vítimas de insegurança rodoviária, no dia africano de segurança rodoviária e dia Mundial em memória as vítimas dos acidentes de aviação.

A associação moçambicana para Vítimas de Insegurança Rodoviária-AMVIRO está preocupada com o derramamento de sangue nas estradas do país cujos números revelam a gravidade da situação. “No ano passado, em 2014 o país perdeu mais de dois mil cidadãos. Acabou por ser o ano mais mortífero, no nosso país, nos últimos tempos. Isto é gravíssimo”.

Segundo Alexandre Nhampossa -presidente da AMVIRO- os acidentes rodoviários causaram também ferimentos a outras três mil pessoas em 2014. O mau estado das vias e a condução em estado de embriagues são algumas das razões apresentadas pela associação.

De acordo com o Relatório Mundial sobre a Segurança Rodoviária, apresentado em Genebra e Londres no mês passado, Moçambique lidera o índice de mortes por acidentes de viação entre os países lusófonos, com cerca de 31,6 casos em cada 100 mil habitantes, O estudo recomenda que haja ação urgente para baixar para metade o total das mortes e ferimentos em acidentes rodoviários até 2020.

A meta sobre segurança rodoviária faz parte do 3.º Objectivo de Desenvolvimento Sustentável, a ser cumprido até 2030. O relatório destaca ainda o papel importante das infra-estruturas e dos veículos seguros para reduzir os acidentes de trânsito. De acordo com a publicação, a infra-estrutura rodoviária é construída tendo em conta as necessidades dos motoristas, apesar de 49 por cento das mortes nas estradas ocorrerem entre pedestres, ciclistas e motociclistas. (rfi.fr)

DEIXE UMA RESPOSTA