DIFAMU do Namibe deve fazer acompanhamento ao cidadão que tem 54 mulheres e 169 filhos

Ministra da Família e Promoção da Mulher (Foto: Joaquina Bento)
Ministra da Família e Promoção da Mulher (Foto: Joaquina Bento)
Ministra da Família e Promoção da Mulher
(Foto: Joaquina Bento)

Os participantes da 3ª Conferência Nacional sobre a Mulher e a Violência recomendaram nesta quarta-feira, em Luanda, a Direcção da Família e Promoção da Mulher (DIFAMU) do Namibe a fazer um acompanhamento relativamente ao cidadão que tem 54 esposas e 169 filhos, de modo a se acautelar o incesto e a poligamia.

Segundo os participantes da conferência sobre o tema “Da paz no lar à paz no mundo, juntos por uma Educação segura no combate à violência, gravidez e casamento precoces”, o Ministério da Família e Promoção da Mulher e os seus parceiros devem reforçar as campanhas de sensibilização no sentido de desencorajar as práticas que contrariam a legislação em vigor e que atentam contra a dignidade da pessoa humana.

Recomendaram as direcções provinciais da família e promoção da mulher a estabelecerem parcerias com os meios de comunicação social e em conjunto criarem programas de sensibilização sobre a violência doméstica, gravidez e casamento precoce em línguas nacionais.

Aconselharam a elaboração de um estudo sobre as causas das gravidezes precoces por forma a se elaborar uma estratégia a nível nacional.

O Ministério da Família e Promoção da Mulher vai construir casas de apoio às mães adolescentes, onde constam os diversos Serviços Amigos dos Jovens (SAJ). (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA