Destacada em Benguela futura zona económica especial Biópio/Culango

Benguela: Governador convida empresários a investirem na província (Foto: Miguel Arcanjo)
Benguela: Governador convida empresários a investirem na província (Foto: Miguel Arcanjo)
Benguela: Governador convida empresários a investirem na província (Foto: Miguel Arcanjo)

O governador de Benguela, Isaac dos Anjos, ressaltou, sábado, as facilidades das infra-estruturas na futura Zona Económica Especial Biopio/Culango, no limite norte de Lobito e Catumbela, devido à proximidade da futura Refinaria e do Porto Mineiro do Lobito, o que facilita a operacionalidade do projecto.

O governante fez essa apreciação durante a sua visita de campo em que entregou, formalmente, as autoridades administrativas da Catumbela lotes constantes do Ordenamento Urbanístico da zona dos Cabrais, na margem direita da estrada nº100.

Segundo o governante, o Ordenamento Urbanístico dos Cabrais, nesta primeira fase, tem para venda ao cidadão, com todos os documentos legais exigidos, 4.500 lotes para a construção de diversas tipologias (renda media, media/alta e renda muito alta), incluindo prédios de cinco a seis pisos, além de incorporar 450 outras áreas para a indústria, que deverão evoluir para três mil espaços industriais numa fase seguinte.

“O ordenamento urbanístico Biopio/Culango abrange duas municipalidades (Lobito e Catumbela), sendo atravessado pela estrada nº 100 e, aqui, do lado da Catumbela, o Biopio é banhado pelo rio com o mesmo nome e, do Culango, que pertence ao Lobito que conta igualmente com o rio do mesmo nome, por si facilita a criação de infra-estruturas, já que se encontra na zona de confluência norte da corrente eléctrica, além daquela que é proveniente da Barragem do Lomaum”, notou, ressaltando o que considera de melhores condições para industrialização.

Isaac dos Anjos referiu-se também de uma Zona Económica Sul, projectada na zona suburbana da sede da província (Benguela), em direcção a chamada “Praça do 11”, considerando que em termos práticos esta (do Biopio/Culango) é a futura zona económica especial, dispondo já, além de estudos sobre a corrente eléctrica, a vantagens sobre o fornecimento de água.

Informou que, há terrenos para habitações, comércio, construção de prédios e indústrias, tudo devidamente definido e já legalizado, podendo a administração local identificar as empresas intermediárias que deverão dedicar-se à intermediação das vendas entre o cidadão e a autoridade local.

Por seu lado, admitiu, tendo em conta a existência de zona para construção de prédios de cinco a seis pisos, a possibilidade de nascer nesta zona dos Cobrais uma cidade com 20 a 25 mil habitantes, a julgar pela disponibilidade dos lotes.

Para acelerar todo esse processo, sublinhou a necessidade da instalação, nos próximos tempos, de um departamento de vendas para os lotes industriais, ainda em número de 450, como forma de acelerar a expansão que a região está a conhecer, nomeadamente com projectos como o Porto Mineiro e a futura Refinaria do Lobito.

Actualmente Benguela conta com o Pólo de Desenvolvimento Económico da Catumbela (PDIC), com mais de 30 unidades produtivas em funcionamento. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA