Delegações de Angola e da Rússia abordam cooperação

Conversações Angola/ Rússia (Foto: Cortesia do J. Angola)
Conversações Angola/ Rússia (Foto: Cortesia do J. Angola)
Conversações Angola/ Rússia (Foto: Cortesia do J. Angola)

Questões ligadas a cooperação no domínio da defesa e segurança dominaram hoje, segunda-feira, em Luanda, as conversações oficiais entre delegações de Angola e da Federação da Rússia.

A delegação angolana foi chefiada pelo ministro de Estado e chefe da Casa de Segurança do Presidente da República, Helder Vieira Dias “Kopelipa”, enquanto a delegação russa foi orientada pelo secretário do Conselho de Segurança da Federação da Rússia, Nikolai Patrushev, que trabalha em Angola desde domingo (22).

Em declarações à imprensa no final das conversações, Nikolai Patrushev aferiu que “tivemos consultas frutíferas com os nossos parceiros angolanos, trocamos opiniões sobre a situação mundial e global, assim como abordamos assuntos regionais. Estamos satisfeitos porque as nossas avaliações sobre a matéria são muito próximas”.

Para o incremento da cooperação, disse o responsável, concordamos que é necessário haver mais trocas de informações a nível dos conselhos de segurança dos dois países e também no âmbito das organizações estatais.

“É necessário fazer agora mesmo para se poder combater, de uma maneira eficaz, os novos desafios e ameaças”, explicou o dirigente, dando como exemplo de acções que carecem de combate urgente o terrorismo internacional.

Disse ainda que nenhum estado soberano pode combater o terrorismo internacional sozinho, havendo, deste modo, a necessidade de se congregar esforços.

Na sua intervenção, falou da queda do avião russo, na sequência de um ataque terrorista, da série de ataques terroristas em Paris (França) e dos acontecimentos no Mali.

O secretário do Conselho de Segurança da Federação da Rússia considerou necessário parar a prática de financiamento ao terrorismo e erguer uma barreira sólida, que inviabilize a utilização dos meios de comunicação e tecnologias de informação na divulgação de actividades terroristas, garantindo, deste modo, uma segurança internacional no domínio da informação.

“A Rússia introduziu a respectiva declaração no âmbito da Organização das Nações Unidas e estamos muito satisfeitos e gratos, pelo apoio da República de Angola a esta iniciativa russa, quer no âmbito do Conselho de Segurança, quer da Assembleia Geral das Nações Unidas”, referiu.

Ainda sobre o terrorismo, lembrou que a Rússia e a França estão juntas no combate a este mal internacional.

Por outro lado, o secretário alertou que existem outras ameaças e desafios que necessitam de consideração, tais como a imigração ilegal e pirataria.

“Nós estamos disponíveis para trabalhar com os nossos parceiros no combate a estes problemas. Estamos disponíveis para fazer este trabalho no âmbito bilateral e multilateral”, acrescentou o responsável russo, que termina a sua visita oficial a Angola na terça-feira (24). (voa.com)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA