Delegação angolana na Conferência Global sobre Segurança no Trânsito deixa Brasil secretário

josé Van-Dúnem (Foto: Pedro Parente)
josé Van-Dúnem (Foto: Pedro Parente)
josé Van-Dúnem (Foto: Pedro Parente/Arq)

A delegação da República de Angola, chefiada pelo ministro da Saúde, José Van-Dúnem, que participou nos dias 18 e 19 na segunda Conferência Global sobre Segurança no Trânsito, deixou já a capital brasileira de regresso a Luanda.

No final da Conferência, o ministro da Saúde fez saber que a reunião procedeu a uma troca de pontos de vistas e experiências entre os vários países na procura das melhores soluções para contornar “o monumental problema mundial da mortalidade no trânsito, resultante de factores humanos, infra-estruturais, de carros rápidos e sobretudo da condução sobre o efeito do álcool”.

O governante angolano destacou que no encontro foi igualmente abordada a questão das envolventes para a redução da mortalidade no trânsito no mundo em 50 porcento até ao ano de 2025 e mostrou-se preocupado com a sustentabilidade do sistema que passa pela redução do número de viaturas em circulação e o consequente aumento da oferta de transportes públicos de qualidade e fiáveis.

Neste quadro, Angola pode dar a conhecer os programas em curso do Executivo de construção do BRT e do comboio de superfície que ligará o centro da cidade de Luanda ao novo aeroporto.

Aliás, os esforços do Executivo com vista a melhoria da circulação rodoviária e redução dos acidentes de trânsito esteve em evidência na comunicação feita pelo ministro José Van-Dúnem, durante a conferência, ao abordar, entre as várias iniciativas, a criação pelo Chefe do Executivo do Conselho Nacional de Viação e ordenamento do trânsito.

Integraram ainda a delegação angolana à segunda Conferência Global sobre Segurança no Trânsito os ministros da Construção e do Urbanismo e Habitação, Valdemar Pires Alexandre, e José Silva, respectivamente, a secretária de Estado da Justiça, Maria Isabel Tormenta dos Santos, o Comandante da Polícia Nacional, Comissário-Geral Ambrósio de Lemos, o embaixador de Angola no Brasil, Nelson Cosme, e outros altos responsáveis do Ministério do Interior, da Construção, Transportes e Comunicação Social. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA