Cunene: Parceiros do fórum de luta contra a malária avaliam desempenho do órgão

Equipamento de combate malária-galeria (Foto: Angop)
Equipamento de combate malária-galeria (Foto: Angop)
Equipamento de combate malária-galeria (Foto: Angop)

Parceiros do fórum provincial de Luta contra a malária no Cunene encontram-se reunidos nesta quinta-feira, em Ondjiva, para balancear e analisar o desempenho do órgão, visando melhorar a sua actuação.

O encontro de um dia está abordar a situação epidemiológica da malária e seus desafios, o cumprimento das cotas, desempenho do fórum, calendário da realização dos próximos encontro entre outros.

Na ocasião, a presidente do referido fórum, Emília Wime, afirmou que o evento como órgão colegial da direcção da saúde, tem a responsabilidade de contribuir na execução do controlo da malária ate 2017, razão pela qual, manifestou a necessidade de dinamizar as actividades para melhorar o desempenho do fórum de forma activa para que o processo venha alcançar os objectivos preconizados.

Segundo a presidente, é preciso dinamizar as acções programadas de modo a garantir um funcionamento efectivo, eficiente e transparente, definindo de maneira clara, precisa e expressa o envolvimento dos parceiros na luta contra a malária, para melhorar a coordenação das actividades.

Por seu torno, o chefe de departamento de saúde pública, Félix Belarmino, defendeu o empenho dos membros e criar estratégicas conjunta para redução da morbi e mortalidade por malária no seio das comunidades.

Segundo afirmou, a malária constitui uma das principais doenças no pais, razão pela qual a necessidade de reforçar as acções de prevenção com a sensibilização da população sobre a importância da melhoria do saneamento, o uso do mosqueteiros e outros cuidados para evitar a doença.

Outro sim, apontou o reforço das acções de capacitação dos quadros para diagnosticar correctamente os casos da doença em unidades hospitalares e melhorar as forma de tratamento, a fim de evitar o aumento de número de óbitos pela doença.

“Cabe ao fórum promover uma ampla parceria publica e privada com a sociedade civil, de modo a garantir apoio ao programa de combate a doença, com vista a tornar o combate da malária na província, mais eficaz e participativa para redução do índice da doença na região”, sustentou. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA