Crime transnacional e narcotráfico em análise em Bissau

O consumo do «crack», droga derivada da cocaína, tem vindo a crescer entre os jovens no continente Africano. (wimedia commons)
O consumo do «crack», droga derivada da cocaína, tem vindo a crescer entre os jovens no continente Africano. (wimedia commons)
O consumo do «crack», droga derivada da cocaína, tem vindo a crescer entre os jovens no continente Africano. (wimedia commons)

Realizou-se esta terça-feira em Bissau uma conferência dos países de África Ocidental sobre crime transnacional e em particular o tráfico de droga, flagelo dessa sub-região, o encontro tendo acolhido dirigentes políticos, peritos, bem como representantes designadamente da ONU e da Interpol.

O objectivo desta conferência era afinar estratégias para combater mais eficazmente fenómenos como o tráfico de droga e outros crimes transfronteiriços, este tendo sido o mote para esta reunião da chamada Iniciativa do Alto Nível da CEDEAO (Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental) da qual fazem parte a Guiné-Bissau, a Guiné-Conacri, a Costa do Marfim, a Libéria e a Serra-Leoa.

Considerada como uma das regiões por onde transita a cocaína da América Latina rumo à Europa, a África Ocidental tem vindo a transformar-se numa zona de produção de metanfetamina bem como de consumo de drogas.
Mais pormenores com Mussa Baldé. (rfi.fr)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA