Corrupção na Função pública em Moçambique

Vista duma artéria rodoviária de Maputo, capital de Moçambique (RFI/Neidy Ribeiro)
Vista duma artéria rodoviária de Maputo, capital de Moçambique (RFI/Neidy Ribeiro)
Vista duma artéria rodoviária de Maputo, capital de Moçambique
(RFI/Neidy Ribeiro)

Comissão de ética pública denuncia corrupção nos sectores da função pública, em Moçambique, e afirma que os servidores públicos têm de ser responsabilizados, quando não cumprem a lei na matéria.

A corrupção está a ganhar terreno em todos os sectores de actividade na Função pública, em Moçambique revela a Comissão Central de Ética Pública.

Segundo Sinai Nhatitima, membro da Comissão Central de Ética Pública, denuncia também o incumprimento da lei de proibição pública, em vigor desde 2014.

“Com toda a legislação que existe, com as instituições que já estão criadas, para estancar este mal, mas a verdade é que estamos ainda aquém, daquilo que nós desejaríamos que a nossa  realidade fosse”.

E mais, no dizer deste membro da Comissão central de Ética Pública,  que fazia estas denúncias e constatações durante uma conferência sobre étia e governação, na província de Cabo Delgado, “o que é preciso mudar, quando se fala de combate à corrupção, quem tem que combater a corrupção é o servidor público.”

Ainda segundo Sinai Nhatitima, membro da Comissão Central de Ética Pública “podemos passar à fase de exigir a responsabilidade de quem não cumpre a própria lei que prevê estas situações.” (rfi.fr)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA