China apresenta o seu primeiro grande avião comercial para competir com Airbus e Boeing

(AFP)
(AFP)
(AFP)

O primeiro grande avião chinês de passageiros, o C919 de médio alcance, saiu nesta segunda-feira da fábrica e foi apresentado em Xangai, confirmando assim as ambições do gigante asiático de competir com a Boeing e a Airbus no sector aeronáutico.

O avião branco com leme verde, de 39 metros de comprimento e com capacidade para 168 passageiros, saiu de um gigantesco hangar decorado com as cores da bandeira da China para ser apresentado a um público selecto.

Mais de um ano foi necessário para construir esse primeiro C919 na fábrica de Xangai da Commercial Aircraft Corp. of China (Comac), um grupo sob controle estatal.

Para a China, a aeronave resulta de muitos anos de esforço para pôr fim à sua dependência das duas maiores fabricantes da aeronáutica mundial, a europeia Airbus e a norte-americana Boeing.

Prova dessa dependência é o acordo assinado na semana passada em que a China comprou 100 Airbus A320. O contracto foi contracto valorado em 9,7 bilhões de dólares a preço de catálogo.

“A saída da primeira aeronave C919 supõe uma etapa importante no desenvolvimento do primeiro avião de concepção chinesa”, comemorou o presidente da Comac, Jin Zhuanglong, durante a cerimónia.

Com esta embarcação, que tem um alcance de 5.555 km, Pequim pretende competir com as duas “estrelas” internacionais de média distância, o B737 da Boeing e o A320 da Airbus.

Voo inaugural em 2017

A apresentação do novo avião coincide com o enorme crescimento do mercado aeronáutico chinês, impulsionado pela emergência da classe média. A China precisará de 6.330 aviões de linha nos próximos 20 anos, segundo projecções da Boeing, que estima a frota triplicará no país durante este período.

“O sector do transporte aéreo não pode depender exclusivamente das importações. Uma grande nação deve ter sua própria aeronave comercial”, afirmou nesta segunda-feira Li Jiaxiang, presidente da aviação civil chinesa diante de um auditório integrado por empresários da indústria e por políticos.

O primeiro voo de teste do C919 será em 2016, segundo Li, o que significa um atraso significativo em relação às previsões da Comac, que inicialmente previam o primeiro voo para o final deste ano

Nessas condições, e após vários atrasos, o voo inaugural de acontecer somente em 2017, segundo informações do diário oficial China Daily.

A Comac informou já ter recebido 517 pedidos para a aeronave, quase que exclusivamente pelas companhias chinesas.

Embora tenha sido concebido na China, o C919 beneficiou-se de tecnologias estrangeiras e é equipado com motores Leap do modelo Leap-1C, desenvolvido pela norte-americana General Electric e pela francesa Safran na empresa conjunta CFM International.

A China sempre sonhou em construir seu próprio avião civil. Nos anos 1970, Jiang Qing, esposa de Mao Zedong, apoiou pessoalmente um projecto desse tipo, mas o Y-10 era muito pesado e só foram construídas três unidades. (afp.com)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA