Bolsas europeias em alta com mercado a não temer efeitos de longo prazo após ataques

(Negocios)
(Negocios)
(Negocios)

As principais praças europeias estão a negociar em terreno positivo. Este comportamento tem lugar numa altura em que o mercado estará a acreditar que os ataques em França não terão efeitos de longo prazo no crescimento económico.

As principais praças europeias estão a negociar em terreno positivo, com valorizações superiores a 1%. O Stoxx 600, índice de referência, cresce 1,69%. O principal índice grego é, de resto, a praça que mais sobe no Velho Continente, subindo 3,57%. Ainda sobre a Grécia, os juros da dívida pública do país a dez anos no mercado secundário estão a cair tendo, esta manhã, tocando nos 6,982% – o valor mais baixo desde Outubro de 2014.

Ainda nas bolsas europeias, o português PSI-20 é a segunda praça que mais soma, avançando 1,94%, seguido do francês CAC 40 que cresce 1,84%.

De acordo com o The Guardian parece que há dois factores que estão a conduzir a este comportamento do mercado esta terça-feira. O primeiro trata-se de os investidores estarem confiantes que os ataques terroristas em França, que tiveram lugar na passada sexta-feira, não vão ter um efeito de longo prazo no crescimento económico nem nos resultados das empresas. Em segundo lugar, o mercado acredita que os bancos centrais vão manter a sua política monetária. O jornal inglês escreve que dois membros do Banco Central Europeu alertaram esta segunda-feira,16 de Novembro, que os ataques de Paris podem prejudicar a confiança, sugerindo que a autoridade monetária poderá anunciar mais medidas de estímulo.

Além disso, esta evolução das bolsas europeias tem lugar nomeadamente numa altura em que o mercado está a incorporar a notícia que a Liberty Global vai adquirir a Cable and Wireless Communications. O negócio está avaliado em 3,5 mil milhões de libras, mais de 4,9 mil milhões de euros. As acções da Cable and Wireless Communications sobem 7,80% na bolsa de Londres para 79,50 pence.

Ainda entre as cotadas europeias, destaque para a empresa de biotecnologia dinamarquesa Genmab que sobe 11,56% para 830,00 coroas dinamarquesas depois de ter sido revelado que o medicamento que desenvolveu em parceria com a Johnson and Johnson para o tratamento do cancro do sangue foi aprovado.

A Easyjet, por outro lado, recua 2,41% para 1.740,00 pence depois das suas vendas terem falhado as estimativas dos analistas. (jornaldenegocios.pt)

por Ana Laranjeiro

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA