Bengo: População de Caxito marcha em memória às vítimas de estrada

Acidente de Viação (Foto: Arquivo/Angop)
 Acidente de Viação (Foto: Arquivo/Angop)

Acidente de Viação (Foto: Arquivo/Angop)

Uma marcha contra a sinistralidade rodoviária foi realizada neste domingo, na cidade de Caxito, província do Bengo, em alusão ao Dia Mundial em memória às vítimas de estrada, comemorado anualmente no 3º domingo do mês de Novembro.

Na actividade, promovida pelo conselho provincial de Viação e Ordenamento do Trânsito, participaram automobilistas, representantes do sector da saúde, associações políticas, sociais e cívicas, bem com elementos da Polícia Nacional, com realce para o comandante provincial, comissário Francisco Ferreira Paiva.

A par da marcha, foi realizada uma exposição com veículos acidentados e fotografias de acidentes, para ajudar a reflexão dos utentes sobre o perigo das estradas, e a distribuição de cartilhas e panflectos de propaganda rodoviárias.

Ao intervir no acto, o comandante provincial da Polícia Nacional no Bengo, comissário Francisco Ferreira Paiva, disse que a sinistralidade rodoviária tornou-se uma problemática da actualidade a nível de todo o mundo, sendo a segunda maior causa de mortes da população em Angola.

O comissário Francisco Ferreira Paiva alertou a sociedade, sobretudo a juventude, a realizar actos de sensibilização sobre os perigos que ocorrem nas estradas.

Referiu que, para inverter o quadro das altas taxas de sinistralidade rodoviária, a Polícia Nacional traçou alguns objectivos, contando com o contributo da sociedade civil, como a inserção da disciplina de prevenção rodoviária no sistema de ensino geral, promoção de acções de sensibilização e de informação do cidadão em geral para as questões que visam a educação rodoviária e a realização de programas com os órgãos de comunicação social, organismos do estado, organizações juvenis, ONG’s e igrejas.

Apelou às instituições públicas, religiosas, famílias e organizações sociais no sentido de continuar promover acções de educação para a defesa e protecção da vida, visando contribuir no processo de construção e desenvolvimento de Angola.

Segundo o comandante provincial da Polícia Nacional, as principais causas dos acidentes estão ligadas a falta de observância das regras básicas elementares do código da estrada e do regulamento de transporte rodoviário, o estado de embriaguez, excesso de velocidade e de lotação, a deficiente iluminação das vias, mau estado técnico dos veículos e de algumas vias.

Por seu turno, o administrador municipal do Dande, João Castelo Branco, considerou a actividade importante por alertar os munícipes sobre a sinistralidade rodoviária, que continua a ceifar vidas humanas. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA