Bengo: Jovens do Ambriz beneficiam de casas sociais

Governador João Miranda entrega chaves de casa a jovem no Ambriz (Foto: Adão João Pedro)
Governador João Miranda entrega chaves de casa a jovem no Ambriz (Foto: Adão João Pedro)
Governador João Miranda entrega chaves de casa a jovem no Ambriz (Foto: Adão João Pedro)

Setenta e quatro jovens do município do Ambriz receberam nesta segunda-feira as chaves das suas residências, no âmbito do programa dos 200 fogos habitacionais em curso na província do Bengo.

Na cerimónia assistida pelo governador João Bernardo de Miranda, os jovens assinaram os contratos das casas T3 cuja renda resolúvel mensal ficou fixada em 11 mil e 500 Kwanzas durante 40 anos.

Ao intervir no acto, João Miranda, apelou aos beneficiários a cuidarem das residências e a honrarem os pagamentos mensais, para que outros projectos idênticos sejam levados a cabo e beneficiem mais jovens.

O governante sublinhou que a obtenção de moradia é uma realidade para os jovens, fruto da promoção e dinamização da política de fomento habitacional do governo.

“O governo continuará a garantir à juventude habitação condigna, educação, assistência médica e medicamentosa, bem como a formação técnica e profissional, para que haja um desenvolvimento sustentável e harmonioso nas famílias”, enfatizou.

Adiantou que todas estas realizações enquadram-se nas comemorações do 40º aniversário do Dia da Independência Nacional que se assinalou a 11 do mês corrente em todo país.

Em declarações à Angop, o jovem Mavitidi Sebastião (médico) que recebeu a chave da sua moradia mostrou-se satisfeito e disse que constitui um sonho almejado e que vai dignificar melhor a sua família.

Frisou que outrora vivia numa residência em péssimas condições e em regime de renda, graças a construção destas moradias pelo governo vê melhorada as condições de vida.

Por seu turno, a funcionária pública Rita Apolo disse que estas condições estimulam a juventude a trabalhar cada vez mais e a observar a pontualidade, tendo em conta a proximidade entre a residência e o local de trabalho.

Sublinhou que foi um pouco difícil alcançar os objectivos devido a morosidade registada no processo, mas com força de vontade foi possível, pelo que solicita ao governo a construir mais casas para o benefício de outros cidadãos. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA