Avião britânico foi quase abatido por míssil no Egipto

(flickr.com/ Andrew Thomas)
(flickr.com/ Andrew Thomas)
(flickr.com/ Andrew Thomas)

Um avião civil do Reino Unido passou por um míssil à uma distância de 300 metros quando se aproximava do aeroporto de Sharm el Sheikh, Egipto, em 23 de Agosto passado, informou o jornal The Daily Mail neste sábado (7).

O avião da Thomson Airways, que transportava 189 passageiros do aeroporto de Londres Stansted, quase foi o alvo de um míssil perto de Sharm el Sheikh. O incidente ocorreu em 23 de Agosto, dois meses antes do acidente aéreo do avião russo A321 na península do Sinai.

O piloto conseguiu evitar o míssil, desviando o avião para a esquerda, de acordo com a media britânica. O avião pousou em segurança e os passageiros não foram informados que o avião tinha evitado o acidente, disse a media.

Mais tarde, foi comunicado que o míssil tinha sido lançado por militares egípcios que realizavam exercícios.

A companhia aérea e o Departamento britânico dos Transportes confirmaram a informação.

O governo do Reino Unido suspendeu as ligações aéreas com Sharm el Sheikh em 5 de Novembro depois da catástrofe do avião russo.

O Egipto está realizar, com a ajuda de especialistas estrangeiros, uma investigação para determinar a causa do acidente. A inteligência dos EUA e Reino Unido desconfiam que uma bomba teria sido introduzida no avião russo antes da descolagem. As autoridades russas disseram que era muito cedo para tirar quaisquer conclusões sobre a causa exacta do acidente.

O avião de passageiros russo caiu na península do Sinai em 31 de Outubro durante o voo entre o resort egípcio de Sharm el-Sheikh e São Petersburgo. Todas as 224 pessoas a bordo morreram, o que se tornou o maior desastre da aviação civil na história russa e soviética. (sputniknews.com)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA