Após suspensão de jogo, governo alemão mantém alerta

(Reuters)
(Reuters)
(Reuters)

Depois da ameaça de bomba provocar o cancelamento do amistoso entre a Alemanha e Holanda, autoridades negam boatos de que explosivos foram encontrados. Mas ministro alemão do Interior alerta que “situação é séria”.

Após o cancelamento, por ameaça de bomba, do amistoso nesta terça-feira (17/11) entre as selecções de futebol da Alemanha e da Holanda em Hannover, as autoridades alemãs negaram boatos de que explosivos teriam sido encontrados no estádio onde seria realizada a partida. Entretanto, o ministro do Interior alemão, Thomas de Maizière, ressaltou que a “situação é séria” e que ainda há ameaça de terrorismo no país.

O secretário do Interior do estado alemão da Baixa Saxônia, Boris Pistorius, afirmou nesta terça-feira em Hannover que não foram achados explosivos. Ele ressaltou que os boatos de que uma ambulância com explosivos fora encontrada pela polícia não se confirmaram “até o momento”. Ele sublinhou, também, que não foram realizadas prisões.

Joachim Herrmann, secretário do Interior do estado alemão da Baviera, confirmou que um serviço de inteligência estrangeiro informara sobre um possível atentado. Ele afirmou que recebeu um aviso na tarde de terça-feira de que “haveria um ataque a um evento desportivo na Alemanha dentro das próximas 48 horas”. Ele, entretanto, disse que a suspensão do jogo também o surpreendeu.

Antes, o jornal Bild havia informado que houvera indicações de que um grupo liderado por um cidadão norte-africano poderia estar planeando um ataque com explosivos. Além disso, o serviço secreto francês teria advertido sobre um terrorista iraquiano que estaria planear um ataque ao amistoso. A notícia não foi confirmada oficialmente.

“Decisão não foi fácil”

O ministro alemão do Interior, Thomas de Maizière, ressaltou em uma entrevista colectiva que a decisão de cancelar o jogo internacional não foi fácil. Ele não quis revelar de onde veio a informação sobre o possível ataque, alegando que isso poderia prejudicar futuramente o trabalho dos órgãos de segurança. “A situação é grave”, alertou o político, acrescentando que a ameaça ainda permanece elevada. Ele se recusou a dar informações sobre os detalhes que levaram ao cancelamento da partida, afirmando que eles poderiam “levar intranquilidade” à população.

A polícia alemã cancelou o amistoso em Hannover cerca de 90 minutos antes do início da partida.

“Recebemos indício concreto de que era planeado um ataque a bomba no estádio”, informou o chefe de polícia de Hannover, Volker Kluwe, em entrevista à TV alemã. O aviso fora recebido, segundo ele, 15 minutos depois da abertura dos portões do estádio.

A partida seria disputada quatro dias depois dos ataques terroristas em Paris, em meio a um forte esquema de segurança e teria a presença da chanceler federal alemã, Angela Merkel, e vários ministros alemães.

Havia relativamente poucas pessoas no lugar, quando foi comunicado o cancelamento da partida. Através de alto-falantes, os presentes foram instruídos a deixar o estádio.

O metro na cidade operou com algumas restrições, após o cancelamento do jogo. Os trens não paravam em algumas estações, por determinação da polícia.

A polícia também fechou na mesma noite parte da estação central de Hannover, depois que um objecto suspeito foi encontrado dentro de um trem. (dw.de)

MD/afp/dpa/rtr

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA