Angolanos são povo aberto à inovação – afirma José Eduardo dos Santos

Presidente José Eduardo dos Santos (Foto: Francisco Miudo/Arquivo)
Presidente José Eduardo dos Santos (Foto: Francisco Miudo/Arquivo)
Presidente José Eduardo dos Santos (Foto: Francisco Miudo/Arquivo)

O Chefe de Estado angolano, José Eduardo dos Santos, disse hoje, quarta-feira, em Luanda, que os angolanos são um povo aberto à inovação, ao intercâmbio e ao progresso e ávido de desenvolvimento e de respeito pelos seus direitos.

O estadista fez esta afirmação quando discursava no almoço oficial de confraternização que ofereceu a chefes de estados ou seus representantes e demais convidados, por ocasião do 40º Aniversário da Independência Nacional, assinalado hoje, em Luanda.

“Conquistada a Independência, resistimos e vencemos porque fizemos da unidade e da esperança num futuro melhor a nossa principal arma até finalmente alcançarmos a paz definitiva no ano de 2002”, declarou.

Sublinhou que a paz chegou para ficar e o país entrou na via da estabilidade, da segurança, da reconciliação nacional, da democracia e da tolerância.

Ainda no programa dos festejos, José Eduardo dos Santos condecorou individualidades angolanas, pelo contributo prestado em prol da independência nacional.

Mereceram distinção João Luis Neto e António dos Santos França, com a “Ordem António Agostinho Neto”, Santana André Pitra , com a “Ordem da Independência”, Jorge Alicerces Valentim, Tonta Afonso Castro, Rodeth Máquina Teresa Gil, Augusto Teixeira de Matos, José César Augusto, Benigno Vieira Lopes e Jovita Neves Nunes, com a “Ordem Combatentes da Liberdade”.

“Hoje, ao procedermos a esta outorga de condecorações, recordamos os que contribuíram para que Angola fosse um país independente, livre e soberano. Nas pessoas dos condecorados, reconhecemos os feitos dos heróis, conhecidos e anónimos, que não regatearam esforços e sacrifícios para verem materializados os seus sonhos”, ressaltou.

Frisou que quatro décadas depois da proclamação da Independência, estes exemplos devem inspirar as presentes e futuras gerações noutros domínios, designadamente do desenvolvimento económico, do progresso social e das realizações científicas e culturais.

Após a homenagem, ao som da música “parabéns”, o Presidente José Eduardo dos Santos, acompanhado da primeira dama da República, Ana Paula dos Santos, fez o corte simbólico do bolo de aniversário da independência. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA