Angola/FIPA2015: Sector das pescas constitui factor decisivo para combate à fome e pobreza

Eusébio de Brito Teixeira (DR)

O governador provincial do Cuanza Sul, Eusébio de Brito Teixeira, considerou quinta-feira, em Luanda, o sector das pescas como um dos factores decisivos para a diversificação da economia e que pode ajudar no combate à fome e pobreza no país, por causa das potencialidades que os mares e rios de Angola oferecem e a rentabilidade que esta actividade pode trazer no mercado nacional.

Em declarações à Angop, durante a visita aos stands da Feira Internacional das Pescas e da Aquicultura de Angola (FIPA2015), que decorre de 26 a 29 deste mês, nas instalações da FILDA, o governante apelou aos empresários e praticantes desta actividade para uma maior divulgação das suas acções para que este objectivo seja alcançado com o êxito desejado.

Afirmou que, ao nível da província do Cuanza Sul, possui-se uma costa marítima de 180 quilómetros com todas as condições favoráveis para o exercício da pesca, mas precisa-se de investimento financeiro para aquisição de equipamentos como cais, câmaras e embarcações.

Referiu que o governo local também está a trabalhar no incentivo para a aquicultura, que considerou igualmente uma actividade importante para o reforço da balança da economia nacional.

Augurou ainda que os resultados deste evento sirvam de exemplos para mostrar a capacidade produtiva que os mares e rios do país possuem, assim como incentivar e potenciar os agentes com investimento financeiro e materiais de trabalho.

A FIPA 2015, que tem como sob o lema “Pescas e Aquicultura Maré de Oportunidades”, acontece numa área bruta de cinco mil metros quadrados e conta com cerca de 80 expositores entre nacionais e estrangeiros.

Numa organização conjunta do Ministério das Pescas e da Feira Internacional de Luanda (FIL) o evento tem, entre vários objectivos, o de fortalecer o sistema de controlo e fiscalização das actividades de pesca e da aquicultura, promover a introdução de novas técnicas e tecnologias adaptáveis ao processo produtivo pesqueiro, bem como organizar um sistema de apoio às cooperativas.

Nos diversos stands montados na feira estão expostos variedades de espécies de peixe do mar e do rio, materiais artesanais e vestes africanos.

Sexta-feira, a partir das 14H00 com entradas grátis ao público, os expositores e visitantes terão a oportunidade de assistir e debater, durante um ciclo de conferências, vários temas ligados ao sector piscatório. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA