África do Sul: Governo angolano garante apoio às comunidades no estrangeiro

Embaixadora de Angola na África do Sul, Josefina Pitra Diakité (Foto: Rosário dos Santos)
Embaixadora de Angola na África do Sul, Josefina Pitra Diakité (Foto: Rosário dos Santos)
Embaixadora de Angola na África do Sul, Josefina Pitra Diakité (Foto: Rosário dos Santos)

A embaixadora extraordinária e plenipotenciária da República de Angola na África do Sul, Josefina Pitra Diakité, afirmou neste sábado, na cidade de Pretória (África do Sul), que o Executivo angolano respeita e presta todo apoio aos seus cidadãos na diáspora, nos mais diversos domínios, através das suas representações locais.

Ao intervir num jantar de confraternização com a comunidade nacional residente naquele país, co-organizado pela Embaixada e pelo Consulado Geral em Joanesburgo, no quadro do 40º aniversário da Independência Nacional, disse que “todos os cidadãos na diáspora têm e continuaram a ter sempre o apoio e respeito das autoridades angolanas”.

Segundo a diplomata, o país busca cada vez mais o estreitamento com os seus compatriotas, em particular os que residem na África do Sul.

Ainda na mesma intervenção, recordou o percurso árduo que o país atravessou, desde a proclamação da independência, pelo primeiro Presidente da República, António Agostinho Neto, a 11 de Novembro de 1975, sublinhando que a paz alcançada a 4 de Abril de 2002 abriu caminho para o crescimento e desenvolvimento do país, em todos os domínios.

Fruto das conquistas, referiu, foi possível recuperar as estradas e melhorar a ligação via terrestre em todo o país, a construção e renovação de aeroportos, de escolas, hospitais e moradias.

“O ambiente de negócios em Angola mostra bem o quão atractivo é o fazer negócio no país e a multiplicidade de operadores estrangeira deixa bem patente isso”, rematou.

Após o tradicional discurso, coube à embaixadora, na presença do cônsul geral de Angola na África do Sul, Joaquim Duarte Pombo, o corte bolo seguindo-se um espectáculo musical pela madrugada adentro, com Yola Semedo, Calabeto, Lima do Swegué, Tony Amado e da novata Belvides Kussumua.

A comunidade angolana residente esteve representada por cerca de 600 cidadãos, num universo estimado em mais de 20 mil. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA