Acordo de Esquerda “é queijo suíço, está cheio de buracos”

(DR)
(DR)
(DR)

Marques Mendes apontou várias “fragilidades” ao acordo de Esquerda para uma solução governativa.

Para Marques Mendes, um Governo PS apoiado à Esquerdas é legislatura “para um ano”.

A opinião do social-democrata foi dada esta noite à antena da SIC, no espaço de comentário semanal de Marques Mendes. E o comentador recorreu a uma metáfora alimentar para descrever o acordo: “é queijo suíço, está cheio de buracos”, diz social-democrata.

“Houve uma surpresa negativa”, disse ainda Marques Mendes, acrescentando que “esperava-se mais deste acordo, sobretudo do ponto de vista da estabilidade. Este acordo é pífio, está preso por arames”.

Para Marques Mendes, são várias as “fragilidades” no acordo que suportará um eventual Executivo do PS.

“Os líderes [dos restantes partidos], não vão para o governo” e “não há nada que diga que orçamentos estão garantidos”. Mas o comentador teceu mais duras críticas.

“Não há nada [no acordo] a dizer que partidos se comprometem com moção de confiança, nem sequer está dito que rejeitam moções de censura se vierem dos adversários”, queixou-se, acrescentando que nos acordos assinados não encontrou “nem uma palavra sobre o que é nuclear para Portugal, o respeito pelo Tratado Orçamental”.

O antigo líder do PSD considera ainda que esta solução “não serve para dar condições de solidez”. Mas, o pior, é “a imagem”, com Marques Mendes a dizer que, “se acordo é histórico”, a cerimónia “não devia ser privada” e “foi quase na clandestinidade”.

“Parece que têm vergonha do que anunciaram”, afirmou ainda.

Já sobre o que Cavaco Silva poderá achar, diz Marques Mendes que “este acordo parece uma certa provocação ao Presidente da República”, considerando que acordo falha nas exigências de estabilidade de Cavaco Silva. (noticiasaominuto.com)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA