Washington defende necessidade de «deter a catástrofe humanitária» na Síria e Iraque

John Kerry com o seu homólogo espanhol José Manuel García Margallo (REUTERS/Andrea Comas)
John Kerry com o seu homólogo espanhol José Manuel García Margallo (REUTERS/Andrea Comas)
John Kerry com o seu homólogo espanhol José Manuel García Margallo
(REUTERS/Andrea Comas)

John Kerry termina hoje uma visita oficial de dois dias a Madrid. Esta manhã numa conferência de imprensa conjunta com o homólogo espanhol, defendeu a necessidade de «deter a catástrofe humanitária que está a ocorrer» no Iraque e Síria e pediu o fim da violência entre israelitas e palestinianos.

O chefe da diplomacia norte-americana conclui esta segunda-feira uma visita oficial de dois dias a Espanha. A deslocação acontece no mês em que Madrid preside ao Conselho de Segurança das Nações Unidas.

Esta manhã, numa conferência conjunta com o ministro dos Negócios Estrangeiros espanhol, José Manuel García Margallo, o secretário de Estado norte-americano anunciou que deverá decorrer nos próximos dias, um encontro com dirigentes russos, turcos e sauditas tendo em vista uma solução pacifica e política para o conflito sírio.

Segundo Kerry, os Estados Unidos querem evitar a destruição total da Síria e evitar consequentemente os efeitos que este conflito tem para a região e para a Europa com a onda de refugiados adicionais que iria criar.

“O nível de imigração na Europa é perigoso” pela dificuldade de absorção e pela ameaça de chegada de ainda mais (refugiados) se a violência continuar”, advertiu o secretário de Estado americano.

John Kerry sublinhou ainda o receio de que com sua intervenção militar no conflito, a Rússia tenha como objectivo “simplesmente manter na cadeira” o presidente sírio Bashar al-Assad. Facto que segundo o representante da Casa Branca apenas “atrairia mais jihadistas e aumentaria o número de refugiados”. (rfi.fr)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA