Vigílias em Portugal de apoio a presos em Angola

Presos em Angola desde 20 de Junho (Amnistia Internacional Portugal)
Presos em Angola desde 20 de Junho (Amnistia Internacional Portugal)
Presos em Angola desde 20 de Junho
(Amnistia Internacional Portugal)

Lisboa e Coimbra eram palco hoje de vigílias e concentrações em solidariedade para com os presos detidos em Angola desde Junho, suspeitos por Luanda de tentativa de golpe de Estado. Dois dentre eles estão em greve de fome após a expiração do prazo da respectiva prisão preventiva, Luaty Beirão estaria muito debilitado na sequência de 24 dias sem se alimentar.

A iniciativa é apoiada pela Amnistia Internacional e contava na capital portuguesa com a participação do activista angolano Rafael Marques, também ele alvo da justiça de Luanda nos casos de denúncias dos desmandos que revelara.

O protesto em Lisboa acontecia junto da delegação do Parlamento europeu na capital portuguesa. Sendo que no mês transacto esse órgão aprovara um texto criticando os atropelos de direitos humanos em Angola.

Também ontem em Cabo Verde tanto a Cidade da Praia como o Mindelo foram palco de vigílias de solidariedade para com o grupo de detidos pela justiça angolana no que muitos sectores denunciam como sendo “presos de consciência”.

Teresa Pina, secretária-executiva da Amnistia Internacional em Portugal, alega que o estado de saúde dos dois presos em greve de fome na sequência do impasse judicial em Angola, agrava as preocupações com o panorama do respeito dos direitos humanos neste país lusófono. (rfi.fr)

por Miguel Martins

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA