Vidas que o terror ceifou em Ancara

(euronews.com)
(euronews.com)
(euronews.com)

Veysel Atılgan, de 9 anos, foi a mais jovem vítima do atentado em Ancara. Veysel acompanhou o pai, İbrahim, à manifestação pela paz. Foram ambos assassinados.

Başak Sidar tinha 20 anos e estudava numa universidade de Ancara. Os pais viajaram de Sanliurfa, no sudeste do país, para participar na concentração ao lado da filha. Encontraram-se junto à estação de comboios da capital, antes da marcha. A jovem perdeu a vida no atentado.

11 trabalhadores dos caminhos-de-ferro turcos partiram em conjunto de Adana, no sul do país, para darem o seu contributo para a paz. Nenhum sobreviveu. Este foi o último selfie deste grupo de amigos.

Abdullah Erol era um dos candidatos do partido pró-curdo HDP nas eleições do dia 1 de novembro. Antes da explosão publicou esta foto no Facebook, com a legenda: “chegámos ao ponto de encontro”.

“Meryem Ana” tinha 70 anos e era uma figura bem conhecida na Turquia. Ativista das chamadas Mães de Sábado, que se reúnem todos os sábados em Istambul para evocar as crianças, as mulheres e os homens torturados e assassinados no país. “Meryem Ana” morreu sem saber o que aconteceu aos seus dois filhos, desaparecidos há vários anos. (euronews.com)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA