Turismo nacional pode alavancar a economia nacional, diz responsável do Infotur

Eugénio Clemente - Director Geral da Infotur (Foto: Rosário Dos Santos/Arquivo)
Eugénio Clemente - Director Geral da Infotur (Foto: Rosário Dos Santos/Arquivo)
Eugénio Clemente – Director Geral da Infotur (Foto: Rosário Dos Santos/Arquivo)

A dinamização do turismo nacional, através da criação de condições em infra-estruturas, pode acelerar o processo da diversificação da economia nacional, em curso no país, admitiu o director do Instituto do Fomento Turístico (Infotur), Eugénio Clemente.

Segundo o responsável, que falava nesta terça-feira no debate da Televisão Publica de Angola (TPA), sobre o tema “Hotelaria e turismo em Angola”, é necessário apostar-se seriamente na criação de infra-estruturas, sobretudo rodoviárias, para atrair muitos turistas nacionais e estrangeiros.

Eugénio Clemente fez saber que o turismo é uma das principais fontes de receitas para o Estado em qualquer parte do mundo e, neste caso, Angola não pode fugir essa realidade.

Com o alcance da paz efectiva, prosseguiu o director, o governo tem estado a criar condições para estimular o turismo, quer por meio de investidores nacionais, quer por meio de investidores externos.

“É necessário haver condições suficientes para estimular o turismo nacional e internacional, um feito que já é notório em vários pontos do país, embora ainda de forma tímida”, sublinhou Eugénio Clemente.

O director referiu que áreas como da agricultura e das pescas devem trabalhar directa com o sector do turismo, porque são dos maiores fornecedores de alimentos para os hotéis, restaurantes e similares.

Afirmou que com uma agricultura fortalecida e com um sector das pescas rico em ofertas de espécies podem contribuir para o rápido crescimento económico de Angola.

Acrescentou que o turismo nacional tem merecido, cada vez mais, expectativas dos cidadãos no âmbito da diversificação da economia, dai a necessidade de se estruturar bem as acções ligadas ao sector.

Participaram do debate funcionários do Ministério do Turismo, agentes hoteleiros e funcionários dos serviços de emigração e estrangeiros. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA