Três meses depois, acordo nuclear com Irão começa a ser concretizado

(AFP)
(AFP)
(AFP)

Os Estados Unidos começaram formalmente neste domingo a preparar a suspensão de suas sanções contra o Irão, seguindo os compromissos do acordo assinado em 14 de Julho por Teerão e as grandes potências.

Este domingo, chamado de “dia da adopção”, marca o final do período de 90 dias após a votação por parte do Conselho de Segurança da ONU da resolução que aprovou este pacto diplomático.

O Irão começa a desmantelar uma grande parte de sua infra-estrutura nuclear, em um processo que levará vários meses. Quando chegar ao fim, as sanções ocidentais poderão ser efectivamente e suspensas.

O presidente Barack Obama ordenou neste domingo que seu governo se prepare, sobretudo com a publicação dos textos de suspensão das diversas sanções adoptadas contra o Irão.

“Este dia representa uma etapa importante para impedir que o Irão obtenha uma arma nuclear e garante que o programa nuclear será exclusivamente pacífico a partir de agora”, disse Obama em comunicado.

A União Europeia também adoptou neste domingo um marco legislativo para a suspensão de todas as sanções contra o Irão.

“Trata-se de uma nova etapa importante que nos aproxima do começo da implementação do acordo alcançado em Julho com o qual nos comprometemos firmemente”, afirmaram em um comunicado conjunto a chefe da diplomacia da UE, Federica Mogherini, e seu homólogo iraniano, Mohamad Javad Zarif.

“Agora a pergunta é: Vão mostrar o Irã que cumpre suas obrigações?”, questionou o ministro das Relações Exteriores alemão, Frank Walter Steinmeier, em visita a Teerão.

“As directivas do presidente Obama são publicadas para que as pessoas saibam o que será suspenso”, informou no sábado a jornalistas um alto funcionário do governo na condição de anonimato.

Outro funcionário advertiu às empresas que possam estar tentadas a comercializar a partir de agora: “Não se suspendeu nenhuma sanção hoje”.

A data de suspensão das sanções dependerá do Irão. “Não acho que levará mais de dois meses”, opinou um outro funcionário do governo sem se identificar. “Para nós, é mais importante que o façam bem do que o façam rápido”.

Mas os iranianos estão interessados na rapidez desse processo, a fim de recuperar os milhares de dólares em recursos congelados nos bancos estrangeiro e oxigenar sua asfixiada economia.

– Meses de trabalho –

O Irã notificou neste domingo à Agência Internacional de Energia Atómica (AIEA) que aplicará o Protocolo adicional ao Tratado de Não Proliferação Nuclear, conforme o previsto no acordo.

Desde a assinatura em Julho em Viena, todas as partes cumpriram suas obrigações e Barack Obama conseguiu impedir que o Congresso americano, de maioria republicana, vetasse o acordo.

O Parlamento iraniano e um conselho de juízes e religiosos o aprovaram na terça e na quarta-feira, apesar da oposição dos conservadores. A AIEA afirma ter obtido sem atraso as informações que precisava para redigir seu relatório sobre a possível dimensão militar do programa nuclear iraniano.

Aos iranianos resta muito o que fazer. Eles precisam desligar dois terços de suas centrífugas e reconstruir o reactor de água pesada de Arak para que ele não possa produzir plutónio de qualidade militar. Além disso, o país tem que reduzir a 300 kg, durante 15 anos, seu armazenamento de urânio fracamente enriquecido, actualmente de 10 toneladas.

Para coordenar esse longo processo, na segunda-feira uma comissão conjunta com os representantes dos países partes do acordo vão, segundo uma fonte do governo americano, se reunir em Viena durante três horas. (afp.com)

 

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA