Tanzânia: Guebuza chefia observadores eleitorais da UA

ARMANDO GUEBUZA, ANTIGO PRESIDENTE DE MOÇAMBIQUE, CHEFE DA EQUIPA DE OBSERVADORES DA UNIÃO AFRICANA (Foto: Angop)

Maputo – O antigo presidente de Moçambique, Armando Guebuza, chefia a equipa de observadores eleitorais da União Africana (UA) destacada para as eleições gerais de 25 de Outubro corrente na Tanzânia.

ARMANDO GUEBUZA, ANTIGO PRESIDENTE DE MOÇAMBIQUE, CHEFE DA EQUIPA DE OBSERVADORES DA UNIÃO AFRICANA (Foto: Angop)
ARMANDO GUEBUZA, ANTIGO PRESIDENTE DE MOÇAMBIQUE, CHEFE DA EQUIPA DE OBSERVADORES DA UNIÃO AFRICANA (Foto: Angop)

Guebuza, que dirigiu o seu país nos últimos 10 anos, junta-se ao também ex-presidente da Nigéria, Goodluck Jonnathan, que chefia a equipa de observadores da Commonwealth.

Pelo menos 20 milhões de tanzanianos estão inscritos para votar nas quintas eleições gerais, após a introdução do multipartidarismo, em 1992.

A campanha eleitoral iniciou a 22 de Agosto, e o Chama Cha Mapinduzi (CMM), partido no poder na Tanzânia, elegeu John Magufuli como seu candidato presidencial.

Além da UA, e da Commonwealth, a Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral (SADC), A União Europeia (UE) e os Estados-membros da Região dos Grandes Lagos já tem autorização para prestar a monitoria das eleições de 25 de Outubro.

Vários países e muitas organizações internacionais já foram autorizados para observar o sufrágio, noticia a AIM.

O semanário “Domingo” cita o Embaixador Hassan Simba Yahya, secretário permanente dos Negócios Estrangeiros, a dizer que a SADC vai enviar os seus observadores aguardos em  Dar-Es-Salaam dentro de dias para avaliar no terreno se os preparativos para as eleições estão devidamente assegurados.

Por seu turno, o coordenador-residente do sistema das Nações Unidas, Álvaro Rodrigues, apelou para a realização de eleições pacíficas para que o país possa cimentar o actual desenvolvimento sustentável.

Rodrigues lembrou as palavras do histórico falecido presidente Julius Nyerere, segundo a qual “a paz é imprescindível para o desenvolvimento da Tanzânia”.

A fonte afirma que as sondagens apontam para uma afluência massiva às urnas.

Entretanto, o presidente do Partido Trabalhista da Tanzânia (TLP), Augustino Mrema, e o antigo secretário-geral do Chadema, Wilbroad Slaa, acabam de anunciar o seu apoio a Magufuli.

Os dois líderes da oposição pediram aos tanzanianos para votarem no candidato do CMM para o mais alto cargo do Estado.

Slaa saudou o “Doutor John Magufuli, notando que a sua integridade, entrega ao trabalho e transparência são alguns dos factores que conferem ao candidato do CCM a capacidade necessária e objectiva para dirigir o país”.

Magufuli era ministro das Obras Públicas do governo de Kikwete e é conhecido como “grande trabalhador”. (portalango.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA