Suíça: Ministro Kussumua aborda questão dos ex-refugiados

João Baptista Kussumua - Ministro da Reinserção Social (Foto cedida a Angop)
João Baptista Kussumua - Ministro da Reinserção Social (Foto cedida a Angop)
João Baptista Kussumua – Ministro da Reinserção Social (Foto cedida a Angop)

O ministro da Assistência e Reinserção Social, João Baptista Kussumua, e o vice-primeiro-ministro da República Democrática do Congo, Evariste Boshab, abordaram hoje (terça-feira), em Genebra (Suíça), aspectos ligados ao processo de repatriamento voluntário dos ex-refugiados angolanos.

Durante o encontro, realizado à margem da 66ª Sessão do Comité Executivo do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), os dois interlocutores enalteceram o engajamento fraterno dos dois países ao longo do processo.

O ministro Kussumua salientou os esforços desenvolvidos pelo Governo Angolano para que a operação se realizasse sem grandes sobressaltos ou acidentes.

Segundo o governante, dada a complexidade do processo e devido alguma morosidade logística, todas as medidas foram acauteladas para facilitar a entrada de todos os angolanos que manifestaram o desejo de regressar de forma espontânea ao país.

Sublinhou que a avaliação é positiva em termos do trabalho realizado.

Por seu lado, o governante congolês destacou o empenho do Governo Angolano, reconhecendo que alguns obstáculos que surgiram no decurso do processo de repatriamento foram ultrapassados nas reuniões tripartidas realizadas a propósito.

Salientou que o seu país sempre acolheu de forma fraterna os angolanos e garantiu um tratamento humanista aos que, por vontade própria, decidiram continuar a viver na RD Congo.

“Os cidadãos angolanos que optaram em viver na RDC terão a sua situação regularizada e poderão trabalhar livremente”, assegurou.

O ministro João Baptista Kussumua, que participa desde segunda-feira na 66ª sessão do ACNUR, tem agendado para quarta-feira um encontro com o Alto Comissário das Nações Unidas para os Refugiados, António Guterres.

O ACNUR, saliente-se, considerou a operação de repatriamento de refugiados angolanos como uma das maiores realizadas com sucesso em África. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA