Sporting obrigado a vencer

(D.R)

O Sporting, surpreendido em casa pelos russos do Lokomotiv Moscovo por 1-3, na ronda inaugural, está “obrigado” a não perder no complicado reduto dos turcos do Besiktas. Prevê-se uma segunda jornada complicada para os Leões, bem como para o Belenenses. Quanto ao Sporting de Braga, tem hoje o jogo ideal para encaminhar o apuramento, para os 16 avos de final da Liga Europa.

(D.R)
(D.R)

A formação “arsenalista” começou da melhor forma, com um triunfo por 1-0 no reduto dos checos do Slovan Liberec, caso vença em casa o Groningen, oitavo do campeonato holandês, pode ficar muito perto do apuramento. Em relação ao estreante Belenenses, conseguiu pontuar no primeiro jogo – 0-0 no reduto do Lech Poznan, 16.º e último do campeonato polaco -, pode “sonhar” frente a Fiorentina, que assumiu domingo o comando do campeonato de Itália e precisa de “emendar” o resultado 1-2 com o Basileia.

No Grupo F, o Sporting de Braga espera que a lógica prevaleça e que no final da noite, esteja na frente com seis pontos, junto ao Marselha – recebe o Slovan Liberec -, situação que projecta um apuramento sem problemas. O internacional luso, Rafa, foi o “herói” da primeira jornada, com o golo na República Checa, aos 60 minutos, repetiu domingo em Guimarães no dérbi minhoto, desta vez aos 74m, num encontro para a sexta ronda da I Liga de futebol.

Se os bracarenses podem selar “meio” apuramento, o Sporting pode ficar em posição oposta, o que pode acontecer se não pontuar em Istambul, porque no outro jogo do Grupo H, o Lokomotiv pode vencer em casa com mais ou menos problemas os albaneses do Skenderbeu.
Como aconteceu várias vezes com o Benfica, o treinador Jorge Jesus desvalorizou a Europa, ao poupar no primeiro jogo, Naldo, Bryan Ruiz e Slimani, o que pode vir a custar caro ao Sporting.

Os leões têm de pontuar em Istambul, não vão ter João Mário que está castigado e provavelmente vão continuar sem Carrillo. A piorar a situação, o Sporting chega a Turquia “tocado” por ter falhado o assalto à liderança da I Liga portuguesa, com um “nulo” no Bessa, ao contrário do Besiktas que subiu ao primeiro posto na Turquia, ao vencer em casa o ex -líder Fenerbahçe (3-2), de Vítor Pereira.

Quanto ao Belenenses, que está a disputar a primeira fase de grupos da sua história, tem pela frente a Fiorentina de Paulo Sousa, que ascendeu domingo à liderança do campeonato de Itália, ao vencer fora de forma categórica, o ex -líder Inter de Milão por 4-1. A conexão Ilicic/Kalinic “arrasou” os milaneses e pode ser um grande problema para o conjunto do Restelo, até porque a formação “viola” caiu na recepção ao Basileia, na primeira ronda e vai querer  recolocar-se na rota do apuramento.

Se conseguisse vencer, o conjunto comandado por Ricardo Sá Pinto, que começou com uma igualdade a zero na Polónia, atirou duas bolas ao ferro, podia entrar nas contas do apuramento, o que era uma enorme surpresa. No que respeita aos outros agrupamentos, destaque para a recepção dos franceses do Mónaco aos ingleses do Tottenham.

Collina pede mais cuidado aos árbitros

Pierluigi Collina, responsável máximo do Comité de arbitragem da UEFA, veio terça-feira a público para, em dia de jornada da Liga dos Campeões, garantir que o organismo “está empenhado em manter a segurança dos futebolistas”, isto depois das lesões graves de Luke Shaw (Manchester United) e Rafinha (Barcelona) na ronda inaugural. O dirigente italiano disse,  que apesar das leis não terem sido alteradas, os árbitros devem ter atenção especial às entradas duras que ponham em causa a integridade física dos jogadores.

“Com estes incidentes particulares, foi difícil identificar imediatamente as disputas de bola em questão, teriam grandes probabilidades de originar lesões, e mesmo os colegas dos jogadores envolvidos não reagiram”, destacou o antigo árbitro italiano em declarações publicadas no site oficial da UEFA.

Rafinha sofreu uma rotura do ligamento cruzado anterior, após uma entrada mais dura de Radja Nainggolan, enquanto Luke Shaw teve fractura da tíbia e perónio, situações que levaram Collina a recordar que nada mudou, que se mantêm as mesmas regras no jogo e as mesmas interpretações.
O antigo árbitro italiano disse, que o Comité de arbitragem da UEFA “sempre recomendou as acções necessárias “para prevenir essas situações”.

“Os árbitros foram recordados de que devem ser muito cuidadosos na avaliação de cortes que possam colocar em risco a segurança de um jogador, mesmo quando a bola tenha sido jogada,  para tomarem as acções necessárias. Não é uma instrução nova, já que nada mudou nas Leis do Jogo ou na sua interpretação”, referiu. (jornaldosdesportos.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA