Serviços de internet registam melhorias em Angola

Eduardo Sebastiãoo, Director Nacional das Tecnologias de Informação do Ministério da Ciência e Tecnologia (Foto: Lino Guimaraes)
Eduardo Sebastiãoo, Director Nacional das Tecnologias de Informação do Ministério da Ciência e Tecnologia (Foto: Lino Guimaraes)
Eduardo Sebastiãoo, Director Nacional das Tecnologias de Informação do Ministério da Ciência e Tecnologia (Foto: Lino Guimaraes)

O director nacional das Telecomunicações, Eduardo Sebastião, realçou hoje, quarta-feira, em Luanda, a concorrência entre os diferentes provedores de serviços de internet como um contributo à melhoria da qualidade dos serviços e à redução dos custos desta ferramenta no país.

Em declaração à Angop, o responsável sublinhou que o ambiente de paz no país permitiu o surgimento de mais operadores que buscam melhorar os serviços prestados.

Segundo Eduardo Sebastião, o país está a atingir um nível de desenvolvimento no sector das tecnologias que não se verificava nos últimos anos, em função do crescimento do número de provedores e das infra-estruturas.

“Hoje, a internet é muito mais rápida e os serviços oferecidos estão bem melhorados, o que tem ajudado o crescimento e desenvolvimento do país” – frisou.

De acordo com ele, antigamente o país possuía uma largura de banda muito pequena, infra-estruturas que permitiam apenas a aceder à internet, por sinal a cabo, através de telefone fixo, e foi progredindo até ao telemóvel, entre outros dispositivos.

“Crescemos bastante a nível das tecnologias, tivemos muito tempo envolvidos numa guerra, e isso fez com que não fosse possível direccionar os investimentos nas tecnologias e outras áreas, e hoje, em tão pouco tempo, já constatamos que o avanço nesse sector foi rápido. Temos esperança que a breve trecho consigamos estar no top das tecnologias, pelo menos a nível de África” – realçou.

O responsável falou, por outro lado, da segurança na internet sublinhando que o Estado está a trabalhar num pacote legislativo sobre cibersegurança.

“Ainda bem que já estamos preocupados com os crimes na internet, no nosso país o assunto ainda não é tão grave, não temos tido muitos crimes a nível da internet, mas estamos a nos prevenir criando legislação sobre cibersegurança” – disse. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA