Selecção busca meis-finais

(D.R)

A Selecção Nacional de basquetebol sénior feminina defronta hoje, às 21h15 minutos, no Pavilhão de Yaoundé,  Camarões, a congénere do Gabão, em partida referente aos quartos -de -final da 24ª edição do Campeonato Africano das Nações, vulgo Afrobasket, prova selectiva aos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016.

(D.R)
(D.R)

Depois da pausa de ontem,  em que o seleccionador nacional, Jaime Covilhã, aproveitou para realizar mais uma sessão de treino, virado essencialmente para correcções dos aspectos de finalização a curta e a longa distâncias, com principal realce para os lançamentos livres,  o “cinco” nacional está determinado para suplantar esta noite as gabonesas.

Hoje, frente ao Gabão, que ocupou o quarto lugar do Grupo A da fase preliminar da edição 24 do Afrobasket, as bicampeãs africanas vão pôr em prática o favoritismo que lhes é atribuído. Nesta fase, em que a margem de erro é quase nula, a selecção  vai tentar assumir as despesas da partida, nos minutos iniciais, para não ser surpreendida pela formação do Gabão, que apesar de reconhecer o potencial do combinado nacional, almeja alcançar o passe de acesso às meias-finais da 24ª edição do Campeonato Africana das Nações.

Tal como tem acontecido, a condução do jogo ofensivo do “cinco” nacional deve ser mais uma vez atribuída à experiente base, Fineza Eusébio.
A extremo poste, Sónia Guadalupe, atleta repescada para a aludida competição, em virtude da Fiba -Mundo ter chumbado a inscrição da base Italee Lucas, pode merecer novamente a aposta do seleccionador nacional, para o “cinco” inicial. Para a partida de mais logo, Jaime Covilhã deve apostar no “cinco” constituído por Fineza Eusébio, Nadir Manuel, Sónia Guadalupe, Luísa Tomás e Marinela Muxiri.

Entretanto, em declarações à comunicação social, o seleccionador  reconheceu que o grupo está com os índices motivacionais em alta, depois da excelente exibição patenteada pelas bicampeãs africanas, na terça-feira, diante da Guiné – Conakri, a quemvenceu por 89-47.“Felizmente conseguimos corrigir os erros cometidos frente ao Egipto. Melhoramos as nossas percentagens nos lançamentos a longa e curta distâncias, assim como os lançamentos livres.

Portanto, vamos procurar na partida diante do Gabão manter os índices de concentração, a fim de conseguirmos a qualificação para as meias-finais”, asseverou o técnico Jaime Covilhã.  As duas vitórias que o Gabão conseguiu na fase preliminar foram diante do Uganda, por 70-39 e da África do Sul, por 71-42, selecções que não conseguiram transitar para os quartos-de-final.

Ontem, em conferência de imprensa, o seleccionador gabonês não escondeu o desejo de vencer o combinado nacional.  “Chegamos à fase do mata – mata e tudo pode acontecer. Vamos enfrentar uma grande selecção, mas queremos fazer história, eliminar a actual campeã africana”, disse o técnico.
Em caso de vitória logo mais, frente ao seleccionado do Gabão, Angola vai defrontar nas meias-finais o vencedor da partida Senegal -Mali.

QUARTOS-DE-FINAL
Moçambique tem tarefa difícil hoje

A selecção de Moçambique tem hoje tarefa difícil, quando defrontar a partir das 14h30, a similar da Nigéria, na primeira partida dos quartos -de – final da 24ª edição do Campeonato Africano das Nações, prova selectiva aos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016. Depois de ter vencido na derradeira jornada do Grupo A, a congénere do Gabão por 79-49, as moçambicanas, que diga-se, estiveram muito aquém do seu rendimento, evitaram o cruzamento com as bicampeãs africanas da “bola ao cesto”,  têm esta tarde um osso duro de roer.

A selecção da Nigéria, segunda classificada do Grupo B, vai querer superar a similar de Moçambique que está desfalcada de uma das suas melhores unidades, Leia Dong, atleta que milita no basquetebol angolano, mais concretamente no 1º de Agosto. Apesar de ter realizado  uma “má” fase, perspectiva-se uma boa partida, a julgar pelo potencial das duas selecções que estão apostadas em alcançar o pódio da 24ª edição do Campeonato Africano das Nações, da “bola ao cesto”. A selecção que  explorar convenientemente os erros da adversária, vai seguramente carimbar o passaporte para as meias-finais.

Duas horas mais tarde, ou seja, a partir das 16h45, Senegal e Mali medem forças, numa partida igualmente de difícil prognóstico. As malianas que conquistaram a medalha de ouro nos XI Jogos Africanos de Brazzaville, apresentam-se como favoritas à vitória. Equiparadas em termos de altura e peso, as duas selecções vão proporcionar um grande espectáculo aos amantes da modalidade.

Por sua vez, os Camarões, país anfitrião, cuja selecção  fez o pleno na fase preliminar da referida prova, enfrenta a partir das 19h00, a bem estrutura selecção do Egipto. As camaronesas vão mais uma vez aproveitar o factor casa, para desfeitear as egípcias, que terminaram em quarto lugar do Grupo B da fase preliminar.

Perspectiva-se igualmente, uma grande partida, em que o equilíbrio pode prevalecer, dada a qualidade dos dois plantéis. Entretanto, ainda hoje, para as classificativas do nono ao 12º lugar, a Argélia defronta a partir das 10h00, no Pavilhão de Yaoundé, a similar do Uganda, ao passo que a África do Sul mede forças com a Guiné Conakry, a partir das 12h45.
M.C

NBA
Derrick Rose
sofre cirurgia

O base do Chicago Bulls, Derrick Rose, não inicia a temporada da NBA  com a sua equipa. Ele sofreu uma fractura na face, na terça-feira, foi submetido a uma cirurgia. O Chicago Bulls informou que a fractura aconteceu, durante um treino da equipa, quando o Rose levou uma cotovelada no rosto. A princípio, ninguém percebeu a gravidade da lesão, mas o base não pode entrar em quadra no começo dos jogos.

“Acertaram o cotovelo nele. Foi algo grave, mas esperamos que ele fique bem. Foi durante o treino”, comentou o companheiro de equipa de Rose, Taj Gibson.  A notícia da lesão de Rose, vem no mesmo dia que o jogador  manifestou-se sobre a acusação de estupro, que pode ter acontecido em 2013. Ele responde a uma acção cível sobre o caso. A acusação parte de uma mulher, identificada como “Jane Doe” (a expressão designa anonimato, que alega ter sido drogada e violentada numa festa.

“Provarei minha inocência, mas ao mesmo tempo, isso não me afectou. Não é verdade. Eu tomo isso como motivação”, disse Rose numa entrevista nesta segunda-feira. “Sinto que estou no caminho certo, que estou onde gostaria de estar na minha vida. E sinto, que quando você está concentrado, as pessoas tentam atingir-te. Estou muito confiante e vou provar a minha inocência”, completou. (jornaldosdesportos.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA